Tecnologias e tendências na logística: o que vai mudar

Tecnologias e tendências na logística: o que vai mudar

Todos os setores estão a enfrentar os desafios da tecnologia e da digitalização, mas a área da logística e dos transportes há algum tempo que sente a urgência da transformação como uma questão de sobrevivência. Está em causa a melhoria do desempenho, a otimização de custos e, claro, a qualidade do serviço ao cliente. Por isso, é tão importante analisar as tecnologias e tendências na logística e perceber que desafios colocam e como estão a mudar este setor.

Num estudo sobre o futuro da indústria logística, a PwC destaca que “[…] os vencedores serão aqueles que percebem como explorar uma grande diversidade de novas tecnologias, desde análise de dados até à automação e soluções de plataforma”. Mas que novas tendências na logística são, afinal, tão críticas para o futuro deste setor?

Big data e Internet of Things

A cultura baseada na recolha e análise de dados permite melhorar o desempenho e servir melhor os clientes. Acontece assim nas várias indústrias e de uma forma crucial na logística. Desse modo, com o big data e a Internet of Things, é possível obter um retrato preciso do que está a acontecer em todas as etapas do fluxo logístico, monitorizando os stocks,  os fluxos de materiais e as quantidades massivas de informação. Ao mesmo tempo, consegue-se prever e antecipar problemas, aumentando a segurança.

Os vários players “que fazem parte de uma cadeia de valor digitalizada podem beneficiar da melhoria significativa das previsões para aumentar ou reduzir a capacidade e planear as rotas”, escreve a PwC no seu estudo.

Isto traz grandes vantagens não apenas para os operadores logísticos, que aumentam a sua eficiência, mas também para quem contrata serviços de logística. Assim, conseguem acompanhar os bens durante todo o trajeto até ao destino final.

Se a isso forem adicionadas outras tecnologias, o potencial é enorme. “Adicionar técnicas de machine learning e inteligência artificial à análise de dados pode criar um mapeamento verdadeiramente dinâmico”, afirma a PwC.

Impressão 3D

A produção padronizada em larga escala está a dar lugar à produção personalizada e descentralizada com o grande contributo da impressão 3D. As implicações serão inevitáveis na logística, e os desafios também.

Deixa de haver a necessidade de transportar mercadorias em longas distâncias. Assim, bastará fazer o transporte dos centros locais até ao cliente final, em trajetos mais curtos. Por outro lado, elimina-se a necessidade de ter níveis de stock elevados, uma vez que a produção vai acompanhando a procura, o que terá um impacto inevitável nos sistemas de armazenamento.

De entre todas as tecnologias e tendências na logística, esta está ainda em expansão, mas regista já taxas de crescimento elevadas. Isto significa que progressivamente em várias indústrias se prevê mudanças no tempo de fabrico, nos custos com pessoal, na logística e no transporte. Processos complexos, como o transporte e a montagem de peças em fábricas, simplificam-se com a impressão 3D.

Drones

As rotas de curta distância, sobretudo em meios urbanos, são um dos desafios logísticos atuais. Igualmente, o acesso a locais rurais mais remotos pode também constituir um problema. É aí que a entrega por drones pode fazer a diferença. Há já vários exemplos de empresas a aplicar estes veículos autónomos, como a Amazon, que já obteve autorização para usar drones na entrega de produtos, ou a Google, que está a testar entregas em zonas rurais da Austrália.

Mas os drones podem ter outras funções, além do transporte de pequenas mercadorias. São utilizados na gestão de armazéns para a verificação de stocks ou na escolta da entrega de bens mais valiosos.

O futuro da logística com o avanço tecnológico passa também pelas frotas autónomas. Ainda numa fase embrionária, a verdade é que esta é uma das alternativas que promete abrir novas possibilidades ao setor, com ganhos de eficiência e garantia de serviços de excelência.

Realidade aumentada e realidade virtual

A realidade aumentada consegue simular a vida real através de inputs sensoriais gerados a partir de um computador, revolucionando a forma como as pessoas interagem umas com as outras. Transposta para o cenário industrial, tem a capacidade de melhorar o desempenho e a eficiência das operações.

Olhando especificamente para as tecnologias e tendências na logística, a realidade aumentada está presente em soluções de gestão de armazéns ou nos vários sistemas da cadeia de abastecimento. Por exemplo, os óculos de realidade aumentada dão acesso à informação necessária, evitando o papel, e permitem localizar produtos em armazém, ajudando os colaboradores a seguirem a melhor rota. Permitem também validar se um produto está a ser corretamente preparado ou colocado na localização ou posição correta.

Nestes casos, as vantagens são visíveis não só no que toca à redução dos custos, mas também na eficiência e no aumento do serviço ao cliente.

Robótica e Automação

Há muito que o cenário de robots a substituírem o trabalho antes feito por humanos passou a ser uma realidade no mundo da logística, nomeadamente em tarefas de armazém. Tal é o caso da embalagem e personalização dos produtos, do manuseamento de mercadorias durante o processo de carga e descarga, do transporte interno ou da gestão de stocks.

Desse modo, num armazém pode ser possível ver robots a ajudar os operadores nos processos de recolha de produtos ou na preparação de pedidos. Ao mesmo tempo, a robótica está a ser utilizada para a automatização de processos. Conhecido como RPA ou Robotic Process Automation, esta tecnologia permite realizar automaticamente tarefas rotineiras e repetitivas executadas em grande volume.

As tecnologias e tendências na logística deixam, assim, antever de uma forma global a redução de custos, uma maior eficiência e transparência. Quanto à rapidez de implementação, a PwC explica que “mesmo que algumas soluções radicais demorem tempo a chegar, outras tecnologias estão prestes a acontecer, como as soluções de realidade aumentada que dão mais informação aos motoristas sobre o seu trajeto e os pacotes que ainda estão a bordo”.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:
The Scarbrough Group, 5 Emerging Technologies That Are Changing The Future Of Logistics. Acedido a 20 de abril de 2021.
https://thescarbroughgroup.com/5-emerging-technologies-that-are-changing-the-future-of-logistics/
PwC, Shifting Patterns – The Future Of The Logistics Industry. Acedido a 20 de abril de 2021.
https://www.pwc.com/sg/en/publications/assets/future-of-the-logistics-industry.pdf
Diário de Notícias, Amazon já tem autorização para usar drones na entrega de produtos. Acedido a 20 de abril de 2021.
https://www.dn.pt/mundo/amazon-ja-tem-autorizacao-para-usar-drones-na-entrega-de-produtos-12571474.html
Forbes, Future Of Logistics: Five Technologies That Will Self-Orchestrate The Supply Chain. Acedido a 20 de abril de 2021.
https://www.forbes.com/sites/sarwantsingh/2016/09/22/future-of-logistics-5-technologies-that-will-self-orchestrate-the-supply-chain/
Australian Aviation, Google Drone Service Wing To Expand In Australia. Acedido a 20 de abril de 2021.
https://australianaviation.com.au/2020/09/google-drone-service-wing-to-expand-in-australia/

Comentários
  • Não sei o que dizer não sei se estou triste se contente mas o progresso é sempre bom e eu sou progressista mas pesando na balança do optimismo e do pessimismo acho que o ponteiro está um pouco inclinado para o pessimismo. Sem dúvida que o modelo melhora ambiente mas quando saio para a rua respiro nesta perspectiva os meus filhos e netos vão respirar melhor mas como vão pagar as suas despesas. Vamos criar mais escravatura como vamos superar isso?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *