Exportar para o Canadá: oportunidades do mercado

Exportar para o Canadá: oportunidades do mercado

O Canadá tem-se afirmado, nas últimas décadas, como uma das economias mais atrativas e sólidas do mundo. Para isso, muito contribui a sua competitividade, a sua abertura ao exterior, a sua transparência e, certamente, o elevado nível de vida da sua população. Este intenso dinamismo, espelhado em diversos rankings globais, justifica a vontade demonstrada por múltiplos players de exportar para o Canadá.

De acordo com as estatísticas do comércio internacional, publicadas pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), este país da região norte da América foi, em 2021, o 26.º cliente das exportações portuguesas de bens, com uma quota total de 0,6%. No entanto, para abordar este mercado apetecível com eficácia, é imprescindível que as empresas atentem nas suas oportunidades e especificidades. Fique a conhecer mais detalhadamente esta economia.

Um retrato da economia canadiana

Exportar para o Canadá significa estabelecer relações comerciais com a oitava maior economia global, parte integrante do G7, o grupo restrito que congrega algumas das potências mais desenvolvidas do mundo.

Apesar de ser o segundo maior país em extensão territorial, o Canadá apresenta uma densidade populacional baixa, com cerca de 38,01 milhões de habitantes. Todavia, é uma economia fortemente industrializada, que conta com recursos naturais de grande relevo (agrícolas, florestais, mineiros e energéticos). Trata-se, aliás, do quarto maior produtor mundial de petróleo.

Por conseguinte, ainda que o país tenha registado uma contração económica de 5,2% em 2020, em virtude das consequências da pandemia de COVID-19, o ano seguinte foi marcado por uma vigorosa recuperação. O PIB canadiano avançou 4,6% em 2021, como resultado do alívio das restrições pandémicas e do crescimento da economia norte-americana.

A The Economist Intelligence Unit (EIU) prevê que, em 2022, o Canadá reforce este trajeto ascendente. As pressões inflacionistas — já antecipadas no início do ano, ainda antes do conflito na Ucrânia, pelo documento “Global Economic Prospects”, do World Bank Group —, bem como os demais efeitos da guerra, acabarão por ser compensados pelo incremento das exportações de trigo e de energia.

A balança comercial do Canadá

De acordo com os dados do Comtrade, citados pela AICEP na sua ficha de mercado sobre o Canadá, o país registou um total de 489 mil milhões de dólares em importações durante 2021. Um aumento considerável relativamente ao ano anterior, com valores fixados nos 404 mil milhões de dólares.

No que concerne à balança comercial, apresentou, em 2021, um excedente de 12 mil milhões de dólares, com as exportações a valer 501 mil milhões de dólares. Nesse sentido, importa ainda destacar que os principais mercados clientes do Canadá foram, durante o ano em análise, os Estados Unidos da América (com uma fatia muito expressiva do total, de 75,5%), a China (4,6%), o Reino Unido (2,6%), o Japão (2,3%) e o México (1,3%).

A relação comercial entre o Canadá e as empresas portuguesas

Segundo o documento supracitado do INE, a balança comercial de bens entre Portugal e o Canadá foi, no ano passado, favorável ao nosso país, com um excedente situado nos 172 milhões de euros. Entre 2017 e 2021, verificou-se um incremento médio anual das exportações de 13,9%. As importações, por sua vez, aumentaram a um ritmo médio de 0,03% por ano.

Em 2021, as principais exportações para o Canadá, oriundas do nosso país, foram:

  • Produtos Alimentares (18,1%);
  • Matérias Têxteis (14,4%);
  • Plásticos e Borracha (11,3%);
  • Metais Comuns (11,1%);
  • Produtos Químicos (6,9%).

Oportunidades de negócio para quem pretende exportar para o Canadá

De acordo com o ranking da EIU, o ambiente de negócios do Canadá é considerado o segundo mais atrativo, de entre um total de 82 países analisados, para o período compreendido entre os anos de 2021 e 2025. Trata-se de uma subida bastante significativa, tendo em conta que esta potência ocupava, entre 2016 e 2020, a 11.ª posição nesta lista.

Este destaque é justificado em função da competitividade, do dinamismo ou da abertura deste mercado, bem como do seu amplo leque de oportunidades. Além disso, o governo canadiano assumiu, no rescaldo da crise financeira internacional, o objetivo de diminuir a dependência do país em relação aos Estados Unidos da América.

Por conseguinte, visto que a diversificação de mercados é encarada como uma prioridade, a missão de exportar para o Canadá pode ser agilizada pela facilitação da circulação de pessoas e de mercadorias.

No que diz respeito às principais oportunidades apresentadas pelo mercado canadiano, a AICEP sublinha que a “reabertura do setor retalhista e uma maior dinâmica industrial deverá traduzir-se numa recuperação das importações ao nível de setores como o vestuário, calçado, produtos e equipamentos industriais, entre outros”.

Podemos salientar, igualmente, o dinamismo de determinadas áreas, como a saúde – nomeadamente, nos segmentos da biotecnologia e do desenvolvimento de vacinas –, as energias renováveis, a economia circular, as tecnologias do ambiente ou a mobilidade elétrica.

Da mesma forma, a International Trade Administration, dos Estados Unidos da América, frisa o setor de bens de consumo como uma oportunidade para as empresas interessadas em exportar para o Canadá, devido aos elevados rendimentos das famílias e à diversidade étnica do país.

Como exportar para o Canadá: algumas orientações a ter em conta

O relacionamento comercial entre a União Europeia e o Canadá é regido pelo CETA (EU – Canada Comprehensive Economic and Trade Agreement ou Acordo Económico e Comercial Global), em vigor desde 2017. Consiste, assim, num acordo celebrado com o objetivo de impulsionar o comércio livre entre estes dois espaços económicos.

Para isso, o CETA eliminou cerca de 99% dos direitos aduaneiros sobre as importações de bens de origem na União Europeia (UE) ou no Canadá. Desta maneira, exportar para o Canadá tornou-se significativamente mais simples, rápido e barato.

Porém, para beneficiarem desta isenção ou redução, os bens devem ser acompanhados de um certificado de origem comunitária na fatura, emitido por um exportador registado no Sistema de Exportador Registado (Sistema REX). Se as remessas tiverem um valor inferior a 6.000 euros, basta a emissão de uma simples declaração na fatura por parte do exportador.

Não obstante, o Consulado Geral de Portugal em Toronto alerta para o facto de que, ainda que a entrada da maioria dos bens seja livre, há categorias de mercadorias e de produtos com maiores condicionantes. A importação dos produtos listados na Import Control List (ICL), como armas, têxteis e vestuário, produtos agrícolas, aço e alumínio, a título de exemplo, carece de autorização. Para alguns deles, encontra-se mesmo estipulado um sistema de quotas.

Se está interessado em exportar para o Canadá, de modo que possa explorar as vastas oportunidades de negócio deste mercado, contacte-nos. A Rangel dispõe de um conjunto diversificado de serviços logísticos e de uma equipa experiente para o ajudar neste processo.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:
Instituto Nacional de Estatística, “Estatísticas do Comércio Internacional – 2021”. Acedido a 4 de julho de 2022.
https://www.ine.pt/xportal/xmain?xpid=INE&xpgid=ine_destaques&DESTAQUESdest_boui=472735340&DESTAQUESmodo=2
Economist Intelligence Unit (EIU), “Canada Economy, Politics and GDP”. Acedido a 4 de julho de 2022.
https://country.eiu.com/canada
World Bank Group, “Global Economic Prospects”. Acedido a 4 de julho de 2022.
https://openknowledge.worldbank.org/bitstream/handle/10986/36519/9781464817601.pdf
AICEP, “Ficha de Mercado – Canadá”. Acedido a 4 de julho de 2022.
https://myaicep.portugalexporta.com/mercados-internacionais/ca/canada?setorProduto=-1
Economist Intelligence Unit (EIU), “Rankings overview”. Acedido a 5 de julho de 2022.
http://country.eiu.com/article.aspx?articleid=691302452&Country=Canada&topic=Business&subtopic=Business+environment&subsubtopic=Rankings+overview
Doing Business 2020, “Economy Profile – Canada”. Acedido a 5 de julho de 2022.
https://www.doingbusiness.org/content/dam/doingBusiness/country/c/canada/CAN.pdf
International Trade Administration, “Canada – Country Comercial Guide”. Acedido a 5 de julho de 2022.
https://www.trade.gov/country-commercial-guides/canada-market-opportunities
Consulado Geral de Portugal em Toronto, Canadá. Acedido a 5 de julho de 2022.
https://toronto.consuladoportugal.mne.gov.pt/pt/canada
European Commission, “EU-Canada Comprehensive Economic and Trade Agreement (CETA)”. Acedido a 5 de julho de 2022.
https://policy.trade.ec.europa.eu/eu-trade-relationships-country-and-region/countries-and-regions/canada/eu-canada-agreement_en

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.