Exportar do Brasil para Angola: oportunidades e barreiras

exportar do brasil para angola: oportunidades e barreiras 1

As relações bilaterais entre o Brasil e Angola são antigas e sólidas e as transações comerciais entre os dois países desde sempre conheceram um fluxo intenso, criando laços económicos e culturais profundos. Ao longo dos anos, a cooperação económica manteve-se e fortaleceu-se, e atualmente são muitas as empresas que continuam a exportar do Brasil para Angola.

Em 2019, as exportações do Brasil para Angola ascenderam a 444,78 milhões de dólares, de acordo com a base de dados das Nações Unidas – COMTRADE para o comércio internacional.

Embora a agricultura de subsistência seja o principal recurso para a maioria da população angolana, os níveis de produtividade são baixos, o que implica que mais de 50% dos produtos alimentares consumidos pelos angolanos sejam importados.

Entre as categorias de produtos mais exportadas do Brasil para Angola encontram-se, de acordo com as estatísticas de 2019:

  • Açúcar e confeitaria açucareira
  • Carne de aves
  • Preparados de carne, peixe e frutos do mar
  • Máquinas, reatores nucleares e caldeiras
  • Produtos de moagem, malte, amidos, inulina, glúten de trigo
  • Artigos de ferro ou aço
  • Veículos para além de ferrovia, elétricos
  • Calçado, polainas e afins
  • Cereais
  • Cereais, farinha, amido, preparados de leite e outros produtos

O açúcar é o produto que o Brasil mais exporta para Angola, representando cerca de 30% do total de exportações para este país africano, seguido da carne de aves, que representa 15%. A exportação destas duas categorias de produtos para Angola gerou, em 2019, uma receita aproximada de 200 milhões de dólares para o Brasil.

Oportunidades e barreiras à exportação do Brasil para Angola

Assim como todo o continente africano, Angola apresenta um cenário de oportunidades para as empresas que pretendem exportar do Brasil para Angola. Localizada numa das regiões mais dinâmicas da economia mundial e com grande potencial de absorção de bens manufaturados, Angola atravessa por esta altura uma fase de reestruturação económica. Embora as previsões apontem para uma estagnação na procura por produtos e serviços, continuam a existir oportunidades para exportar do Brasil para Angola.

Carnes e miudezas comestíveis, cereais, produtos da indústria de moagem como malte amidos, féculas, inulina e glúten de trigo, gorduras e óleos animais ou vegetais, reatores nucleares, caldeias, máquinas, aparelhos e instrumentos mecânicos e suas partes, e veículos automóveis, tratores, ciclos e outros veículos terrestres, suas parte e acessórios estão entre as categorias de produtos que apresentam boas oportunidades de negócio para as empresas brasileiras no mercado angolano.

Não obstantes estas oportunidades, Angola apresenta um quadro regulamentar que impõe algumas limitações à importação, que pretende regulamentar a cadeia comercial de oferta de bens da cesta básica, que não impedindo a importação de determinados produtos, confere prioridade à compra deste tipo de bens produzidos em Angola. Dos produtos prioritários da cesta básica constam, entre outros, o açúcar, arroz, farinha de milho e trigo, feijão, leite, óleo alimentar sabão, sal, massa alimentar, sumo, carnes bovina, suína e frango.

Nestas categorias de produtos, é necessária uma autorização prévia das autoridades angolanas para que o processo de exportação possa avançar e, dependendo do tipo de produto, pode também ser necessária a apresentação de um comprovativo veterinário/fitossanitários, que comprove o Acordo de Habilitação entre os serviços veterinários/fitossanitários de ambos os países.

Embora o regime de importação angolano apresente alguma burocracia e complexidade associados ao protecionismo, Angola tem acordos bilaterais com o Brasil que permitem ultrapassar muitas limitações à exportação. A Rangel dispõe de instalações próprias no Brasil e em angola e beneficia de uma vasta experiência em ambos os mercados. Para saber mais sobre exportar do Brasil para Angola contacte a nossa equipa comercial.

Referências Bibliográficas:
Brazil exports to Angola. Trade Economics COMTRADE, Acedido em 21 de julho de 2020, em
https://tradingeconomics.com/brazil/exports/angola
Brasil: Informações Gerais. Exportações, Importações e Balança Comercial. Ministério da Indústria Comércio Exterior e Serviços, Governo Federal, Acedido em 21 de julho de 2020, em
http://comexstat.mdic.gov.br/pt/comex-vis
Executivo fixa regras para importação de bens da cesta básica. Agência angola Press, Acedido em 21 de julho de 2020, em
http://www.angop.ao/angola/pt_pt/noticias/economia/2019/3/18/Executivo-fixa-regras-para-importacao-bens-cesta-basica,b6bd0cbb-02ad-4b8b-a5c5-62c575795f66.html
AICEP. Mercados Internacionais, Angola, Acedido em 21 de julho de 2020, em
https://myaicep.portugalexporta.com/mercados-internacionais/ao/angola

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *