Sistemas de Gestão de Transportes: quando atualizar?

sistemas de gestão de transportes: quando atualizar

A crescente “pressão” por parte dos clientes relativamente aos timings de entrega, rastreabilidade e seguimento dos envios torna prioritária a adoção de sistemas de gestão de transportes, considerados um elemento chave para que as empresas possam oferecer um serviço de qualidade superior ao cliente final. 

Um sistema de gestão de transporte é uma solução tecnológica integrada que vai além da gestão dos envios, uma vez que permite uma visibilidade através de toda a cadeia de abastecimento, otimização de custos e rotas, e oferece acesso a múltiplas aplicações, redes e dados fornecendo as ferramentas necessárias para que uma empresa opere de forma mais eficiente.  

Neste artigo, identificamos quatro sinais que são indicadores de que está na altura de repensar a atualização, substituição ou, no caso de ainda não ter, adotar um sistema de gestão de transportes (TMS – Transportation Management System). 

1. Quando se torna demasiado dispendioso atualizar o TMS atual 

As soluções TMS on-premise, ou seja, softwares instalados nos servidores locais da empresa, requerem tempo e esforço significativos do departamento de informática, quer para a sua implementação, quer para a sua manutenção. As atualizações deste tipo de softwares não são automáticas e pode ser necessário adquirir novas licenças para adicionar utilizadores. Outra questão é a incapacidade de aceder a ferramentas de logística crítica e da cadeia de abastecimento, como a gestão aduaneira ou de encomendas, numa plataforma com uma única assinatura. 

Dica: Procure implementar uma plataforma integrada baseada em nuvem, ou seja, um software SaaS, que não necessite de alojamento, instalação e manutenção, além de oferecer benefícios como: 

  • a capacidade de aceder a múltiplas funcionalidades de execução da cadeia de abastecimento, pagando apenas pelas aplicações que utiliza ou precisa; 
  • capacidades únicas de inscrição para múltiplas aplicações; 
  • implementação simplificada, atualizações periódicas incluídas e a capacidade de adicionar funcionalidades com facilidade. 

2. O TMS existente não é escalável 

Se utiliza um sistema tradicional, que é baseado em tecnologias mais antigas e que não permite aplicações personalizadas que satisfaçam as exigências atuais da empresa, então é evidente a necessidade de implementar um sistema de gestão de transportes atual, que forneça ferramentas analíticas que contribuem para a tomada de decisões estratégicas mais sustentadas. 

Dica: Aposte numa solução moderna de tecnologia para a cadeia de abastecimento, que forneça a “visão” necessária para melhorar a previsibilidade e otimizar os níveis de serviço. As plataformas integradas e baseadas na cloud são mais ágeis do que as soluções tradicionais, pois oferecem: 

  • uma extensa rede que pode ligar utilizadores a milhares de transportadoras e parceiros de cadeias de abastecimento; 
  • uma visão única de dados com análise em tempo real; 
  • capacidade de adicionar utilizadores ou funcionalidades. 

3. É difícil satisfazer as exigências dos clientes 

Se sente uma pressão constante por parte dos seus clientes, a mesma deve ser vista como um sinal de alerta para a necessidade de ir além das folhas de cálculo, e-mails e chamadas telefónicas para a gestão do transporte. Infelizmente, muitas ferramentas TMS mais antigas não são compatíveis com um aumento exponencial do volume de negócios, traduzindo-se num impacto negativo na satisfação dos clientes. 

Dica: Implementar uma plataforma multifuncional que proporcione a flexibilidade que a empresa necessita para se destacar entre a concorrência. As ferramentas de gestão da cadeia de abastecimento mais recentes são baseadas na cloud, capazes de responder às necessidades atuais e estão preparadas para as exigências futuras. Entre outros benefícios incluem: 

  • acesso a uma única instância que liga milhares de transportadoras, o que não seria possível com uma plataforma on-premise
  • conexões B2B e B2C em tempo real em redes TMS atuais que permitem programas de envio direto; 
  • funcionalidade de encomendas que suporta envios complexos, de alto volume e multilocações, tanto a nível nacional como internacional. 

4. O TMS existente cria ineficiências 

O histórico de plataformas adotadas pode levar à criação de silos de informação e processos de trabalho ineficientes. Trabalhar numa possível integração destas plataformas será um processo dispendioso e intensivo, isto sem referir a dificuldade que por vezes as equipas informáticas enfrentam para trabalhar softwares arcaicos.  

As consequências incluem a falta de visibilidade de dados críticos, incluindo os custos e disponibilidade de transporte, bem como da gestão aduaneira e de conformidade. 

Dica: Implementar uma plataforma integrada de execução da cadeia de abastecimento, baseada na cloud, permite que várias partes utilizem tecnologias através de um sistema comum. Pode ainda fornecer uma rede de informações em tempo real, monitorizando o fluxo de mercadorias e dados conforme os embarques são realizados. Os utilizadores têm frequentemente visibilidade baseada em permissão em toda a rede, bem como nas suas próprias cadeias de abastecimento. Este tipo de plataforma integrada remove silos de informação por: 

  • fornecer conectividade para redes de parceiros da cadeia de abastecimento; 
  • permitir o acesso a aplicações complementares, como conformidade (por exemplo, triagem de parte negada e classificação de produto); 
  • integrar com recursos móveis, como rastreamento em tempo real, comprovativo de entrega e mapeamento da última milha; 

As plataformas integradas e multifuncionais permitem maior controlo das redes de transporte, para que a empresa possa responder proactivamente às exigências dos clientes e aos riscos inesperados. Esta é a melhor altura, em termos de avanços tecnológicos, para abraçar o desafio da digitalização, implementar um sistema de gestão de transporte e ganhar vantagem competitiva. 

Referências Bibliográficas: 
Artigo adaptado de Four Signs That It’s Time To Rethink Transportation Management by Blujay Solutions, janeiro de 2020, Acedido em 01 de outubro de 2020, em https://talkinglogistics.com/2020/01/23/four-signs-time-to-rethink-transportation-management/  

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.