Melhoria contínua na logística: aspetos a ter em conta

melhoria continua na logistica

Pensar em processos de melhoria na logística pode começar por implicar olhar, por exemplo, para a eficiência das rotas ou mesmo para a otimização do espaço e do trabalho em armazém. Mas isso deixa de ser suficiente quando há uma procura constante de novas formas de otimizar a qualidade, a produtividade, a eficiência e de reduzir os custos. Aqui, a resposta reside na melhoria contínua na logística.

Indo além dos processos mais simples, é importante centrar-se nas questões mais estratégicas que vão permitir mudar paradigmas, culturas e processos de uma forma mais estrutural e regular ao longo do tempo. Só assim é possível obter ganhos constantes. Importa, pois, perceber o que é a melhoria contínua e como se aplica à logística.

O que significa melhoria contínua?

A expressão tem origem na palavra japonesa “kaizen”, que significa “mudar para melhor” ou “melhoria contínua”. É, então, uma filosofia empresarial japonesa que diz respeito aos processos que melhoram continuamente as operações e que envolvem todos os funcionários.

“A filosofia Kaizen encara as melhorias de produtividade como um processo gradual e metódico”, conforme a definição da Investopedia. Materializando um pouco mais esta filosofia, a definição refere que o método Kaizen “envolve tornar o ambiente de trabalho mais eficiente e eficaz, criando um ambiente de equipa, melhorando os procedimentos diários, garantindo o envolvimento dos funcionários e tornando o trabalho mais gratificante, menos cansativo e mais seguro”.

A filosofia Kaizen tem, assim, por base a ideia de que tudo pode ser melhorado, pode ter um melhor desempenho ou ser mais eficiente, como explica o Kaizen Institute, esclarecendo que a esta filosofia pode estar também associado o modelo lean. Neste caso, trata-se de um modelo aplicado há mais de 100 anos, muitas vezes relacionado com o sistema de produção da Toyota, e que se foca em remover tudo o que é desperdício. Isto é, no fundo, todas as operações que não conseguem criar valor para o consumidor final são “desperdício”.

Como fazê-lo? De acordo com o método de melhoria contínua, o objetivo é fazer pequenas mudanças ao longo do tempo para ir introduzindo processos de melhoria na empresa, tendo por base a ideia de que pequenas mudanças hoje podem ter um grande impacto no futuro. Isto acontece com a participação de todos os colaboradores, que devem ser encorajados e capacitados para identificar possíveis áreas de melhoria e criar soluções que sejam viáveis.

Este conceito aplicado à logística significa pôr em prática um programa de melhoria contínua nas operações da cadeia de abastecimento, tornando-a cada vez mais eficiente e com menos níveis de desperdício. Tal é o caso, por exemplo, dos processos de armazenamento ou de distribuição, mas também de produtividade e do atendimento ao cliente.

Ferramentas de melhoria contínua na logística

A melhoria contínua na logística exige, pois, adotar um conjunto de práticas que podem ser resumidas em seis passos.

1. Identificar e questionar a situação atual

Um dos primeiros passos de um método de melhoria contínua é a identificação de falhas ou problemas. Pois bem, para os identificar, é importante fazer as perguntas certas. Por exemplo, o que está a impedir que uma determinada etapa do processo logístico seja mais rápida ou eficiente? Como podemos eliminar estas ineficiências?

2. Investigar e identificar o problema

Analise os sistemas e processos atuais para perceber o que efetivamente está a criar entraves. Esta é uma etapa fundamental para, depois, encontrar a solução mais correta.

3. Estabelecer um objetivo

Identificados os problemas, é importante saber onde se quer chegar e definir objetivos claros a atingir. Partilhe com a equipa, para que todos possam estar envolvidos.

4. Criar um mapa estratégico

Defina um processo de atuação que vai permitir lidar com o problema e implementar as melhorias necessárias para atingir o objetivo definido. Este mapa deve, então, incluir um calendário de execução e os elementos da equipa que vão intervir nas várias fases. É também importante definir reuniões periódicas com os elementos da equipa, nas quais estes possam partilhar ideias e discutir possíveis soluções.

5. Medir os resultados

Para saber se os objetivos definidos estão a ser atingidos, é necessário ir medindo a eficácia das medidas adotadas para os alcançar. Por isso, esta medição deve ser feita de uma forma regular.

6. Celebrar o sucesso

Conquistados os objetivos definidos, esta é uma boa oportunidade para celebrar o sucesso alcançado com toda a equipa. Torna-se, assim, evidente os ganhos da melhoria contínua na logística.

Aspetos a ter em conta na implementação

Durante a implementação de um processo de melhoria contínua na logística, deve ter em conta um conjunto de pressupostos.

  • Planear muito bem todos os passos: trata-se de um processo que visa mudar mentalidades e as mentalidades não se mudam de um dia para o outro.
  • Envolver todas as pessoas: desde os quadros mais altos aos mais baixos, todos têm de estar envolvidos. Ao implementar a melhoria contínua na logística, a equipa deve não só participar, como também ser capaz de identificar pontos a melhorar, tomar decisões e implementar as soluções.
  • Começar do mais simples para o mais complexo: dar os primeiros passos nas componentes que terão benefícios no mais curto prazo.
  • Mostrar os resultados: ao expor os resultados, todos os membros da equipa vão acompanhar o sucesso das medidas que estão a implementar. Torna-se, assim, evidente o impacto dos projetos de melhoria contínua e as mudanças que estão a produzir na cadeia de abastecimento, gerando entusiasmo e empenho.

Enraizando a ideia de que pequenas mudanças podem acarretar grandes resultados, certamente que se vai tornando mais evidente a relevância da melhoria contínua na logística.

Na Rangel, contamos com equipas experientes e focadas em melhoria contínua aplicada à logística industrial.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:
Kaizen Institute, What is the difference between Kaizen, Lean & Six Sigma? Acedido a 03/05/2021.
https://in.kaizen.com/blog/post/2015/09/11/what-is-the-difference-between-kaizen-lean–six-sigma.html
DHL, Think outside the “Lean” box for continuous improvement. Acedido a 03/05/2021.
https://www.dhl.com/content/dam/dhl/global/dhl-supply-chain/documents/pdf/dhl-glo-sci-x-sector-continuous-improvement.pdf
UPS, A Continuous Improvement Program: 6 Simple Steps for Your Supply Chain. Acedido a 03/05/2021.
https://www.ups.com/us/en/services/knowledge-center/article.page?kid=art1727b03bbc4&articlesource=longitudes
Coyote, How to Start a Continuous Improvement Program: 6 Simple Steps for Your Supply Chain. Acedido a 03/05/2021.
https://resources.coyote.com/source/continuous-improvement

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *