Logística do agronegócio no Brasil: 5 desafios a ultrapassar

Logística do agronegócio no Brasil: 5 desafios a ultrapassar

Analisando o produto interno bruto (PIB), o Brasil é a maior economia da América Latina e uma das mais relevantes do mundo. Pela sua dimensão e pelas oportunidades que oferece, é um mercado no radar de muitas empresas estrangeiras. O turismo, a construção, a energia, as tecnologias de informação e comunicação são algumas das áreas mais procuradas para investir. Entre elas está igualmente um dos setores com maior expressão na economia brasileira: o agronegócio. Conheça com mais detalhe a logística do agronegócio neste mercado.

A importância do agronegócio no Brasil: um setor cada vez mais dinâmico

O agronegócio ou agrobusiness contempla todas as atividades relacionadas com a agricultura, a pecuária, a pesca, a silvicultura e as florestas. Tem, da mesma forma, a particularidade de envolver toda a cadeia produtiva, agregando todas as atividades associadas ao processo de produção de matérias-primas, passando pela industrialização e até à comercialização.

De acordo com os dados do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (CEPEA), o setor do agronegócio cresceu 8,3% em 2021 e o volume total de riqueza gerada por estas áreas de atividade exerceu um peso de 27,5% no PIB brasileiro. É preciso recuar até 2004 para encontrarmos um ano em que o agronegócio tenha tido um desempenho tão positivo.

O dinamismo e a importância deste setor na economia brasileira espelham-se também no peso que exerce no saldo da balança comercial do país com o mundo. Afinal, metade das exportações brasileiras (51%) estão relacionadas com esta área.

Conforme indicam as estatísticas relativas aos primeiros cinco meses de 2022, as exportações brasileiras no setor do agronegócio atingiram um volume total de 63,6 mil milhões de dólares, o que representa um crescimento de 29%, comparativamente ao período homólogo. Entre os bens mais exportados estão a soja, as carnes, os produtos florestais e o café, entre outros.

Hoje, o Brasil é um dos maiores exportadores mundiais de matérias-primas agrícolas. É, por exemplo, o maior produtor e exportador de café e de soja do mundo, o quarto maior exportador de grãos e um dos grandes players na exportação de carne bovina.

Os dados colocam, assim, o Brasil como uma potência mundial no setor do agronegócio. Um resultado que se explica, entre outros aspetos, pela sua enorme extensão territorial e por estar dotado de um elevado volume de recursos naturais.

Logística do Agronegócio: como funciona? E quais são os principais desafios?

O agronegócio abrange uma grande multiplicidade de empresas de diversas áreas do setor agropecuário, que estão interligadas e carecem de uma implementação de processos logísticos rigorosos e coordenados. Recorde-se que este setor lida com bens sensíveis e perecíveis que exigem condições de armazenamento e transporte muito controladas, nomeadamente, no que diz respeito à temperatura e às condições de humidade.

A logística do agronegócio visa, precisamente, assegurar que se realiza a movimentação e o armazenamento dos produtos agroindustriais com a máxima segurança, agilidade e coordenação entre os vários atores intervenientes na cadeia de abastecimento. No entanto, este processo não está isento de desafios. Assim, entre os principais constrangimentos associados à logística do agronegócio no Brasil, destaque para os seguintes:

Longas distâncias

O Brasil é o quinto maior país em termos de área territorial. Isso significa que, para fazer chegar as mercadorias provenientes dos produtores agrícolas do interior do país até ao porto ou aeroporto, têm de ser percorridos milhares de quilómetros, sobretudo por via rodoviária – representando assim um grande desafio para a logística do agronegócio.

Grande dependência do transporte rodoviário

De acordo com alguns portais de informação, 70% do transporte de carga no Brasil é realizado em camiões, por via rodoviária. Já a rede ferroviária tem pouca expressão. Além da forte dependência do transporte rodoviário, as empresas do setor agropecuário têm de lidar com a precariedade destas infraestruturas, já que muitas estradas do país não estão em bom estado de conservação e somente 12% estavam asfaltadas (em 2018).

Este enquadramento leva a elevados custos de manutenção da frota de camiões e proporciona a ocorrência de problemas relacionados com perdas de mercadoria durante o transporte.

Falta de infraestruturas de armazenamento

Um outro desafio da logística do agronegócio prende-se com a capacidade de armazenamento dos produtos, uma vez que o mercado opera com um grande volume de mercadorias. Idealmente, a capacidade de armazenamento da produção agrícola de um país deve ser, no mínimo, 20% maior do que a sua capacidade de produção. Mas muitas vezes, os espaços disponíveis para o armazenamento não são suficientes para atender às necessidades das empresas do agronegócio no Brasil.

Custos elevados das operações logísticas

Devido a alguns fatores já mencionados – como as longas distâncias a percorrer nas rodovias –, bem como as ineficiências verificadas em diversas etapas da supply chain, as operações relacionadas com a logística do agronegócio apresentam uma estrutura de custos elevada.

Crescentes preocupações ambientais

Em todo mundo – e não apenas no Brasil – crescem as preocupações em torno da sustentabilidade ambiental dos negócios. Para manter a sua competitividade, o setor do agronegócio tem de desenvolver soluções na sua cadeia produtiva que permitam reduzir a pegada ecológica, envolvendo também as operações logísticas nesta missão.

A otimização de rotas de transporte para diminuir o consumo de combustíveis fósseis e um melhor aproveitamento do espaço disponível em armazéns e contentores são exemplos de ações que podem e deverão ser implementadas para tornar a logística do agronegócio mais verde.

Apesar destes desafios, há também oportunidades no horizonte, por exemplo, no que diz respeito à aplicação da tecnologia no agronegócio. Cada vez mais, as empresas estão a apoiar-se na tecnologia de precisão para tornar os seus processos produtivos e as suas operações logísticas mais eficientes e automatizadas, com vista à redução de custos.

Se procura um parceiro que assegure as operações de logística do agronegócio no Brasil com segurança e rapidez contacte-nos. O grupo Rangel está presente no Brasil – com uma delegação em São Paulo – e tem uma rede de parceiros com cobertura nacional que asseguram o acompanhamento e a monitorização de todo o processo de importação até ao destino.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:
Insper. “O principal desafio para o agronegócio: manter a rentabilidade”. Acedido a 14 de julho de 2022.
https://www.insper.edu.br/
Vertti. “Logística no agronegócio: desafios e oportunidades”. Acedido a 14 de julho de 2022.
https://vertti.com.br/blog/logistica-no-agronegocio/
Canal Rural. “Entenda porque o Brasil é tão dependente do transporte rodoviário”. Acedido a 14 de julho de 2022.
https://www.canalrural.com.br/
Aicep – Portugal Exporta. “Brasil”. Acedido a 14 de julho de 2022.
https://www.portugalexporta.pt/

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.