Blockchain na logística: conheça as vantagens e aplicações

Blockchain na logística: conheça as vantagens e aplicações 1

O movimento de transformação digital a que temos assistido um pouco por todo o mundo tem sido acelerado pela adoção de tecnologias disruptivas, como a blockchain. Esta inovação ganhou especial relevo graças ao desenvolvimento das criptomoedas. Mas a sua aplicação não está circunscrita à área das transações financeiras. Na verdade, as vantagens proporcionadas por este instrumento – nomeadamente, a segurança, privacidade e autenticidade – estão a levar à sua adoção em diversos setores, como a saúde, a energia ou o imobiliário. A blockchain na logística é também um vetor para muitas empresas que fazem parte da cadeia de abastecimento.

A aplicação desta tecnologia, combinada com outras igualmente inovadoras, pode ser um driver para capacitar as supply chains globais e ajudá-las a enfrentar os desafios que se perfilam no horizonte. Em especial, aqueles que se referem à capacidade das empresas em conseguirem cumprir com as expectativas dos consumidores, garantir a rentabilidade das operações e ganhar uma maior resiliência perante eventuais disrupções que possam ocorrer.

Conheça as diversas aplicações da blockchain na logística e o seu impacto no funcionamento da supply chain.

Como funciona a blockchain?

O surgimento da blockchain está diretamente associado à criação da bitcoin, cujo conceito foi apresentado em 2008 pelas mãos de Satoshi Nakamoto. O objetivo era criar uma forma descentralizada de fazer transações, sem a intervenção de um intermediário financeiro. Mas para atingir o seu propósito, Nakamoto precisava da ferramenta correta: a blockchain.

Em termos simplistas, esta tecnologia é uma base de dados compartilhada na qual são registadas transações, bem como todas as informações a elas associadas. Esse registo é feito em blocos (block) que são depois interligados – tanto ao bloco anterior, como ao seguinte –, formando uma corrente (chain). Além disso, cada bloco tem uma espécie de impressão digital (hash).

Uma vez registadas e validadas na blockchain, as transações já não podem ser alteradas ou manipuladas. Garante-se, assim, a sua segurança e integridade através de ligações criptográficas.

Um dos aspetos inovadores desta tecnologia é o facto de a validação das transações não necessitar da participação de um intermediário – como um banco ou uma entidade reguladora. Ela é obtida com o recurso a uma ampla rede de computadores independentes (rede peer-to-peer) que sincronizam as transações e, através de algoritmos, chegam a um consenso sobre a validação das mesmas. Este mecanismo assegura que nenhuma transação pode ser eliminada e que um novo bloco só pode ser adicionado à corrente após a validação de todos.

Tudo isto é possível graças a complexos processos de computação que permitem armazenar e organizar a informação associada a todas estas transações.

Entre as principais vantagens proporcionadas pela blockchain, destaque para as seguintes:

  • Maior transparência, pois qualquer mudança na blockchain é tornada pública e partilhada pelas várias partes que fazem parte da rede.
  • Maior rapidez, sendo que a tecnologia permite a troca rápida e atualizada de grandes quantidades de informação.
  • Menores custos, uma vez que dispensa a existência de intermediários;
  • Maior segurança e menores riscos de fraude, já que o registo de dados é inviolável.

A aplicação da blockchain na logística: quatro grandes vantagens

Embora, inicialmente, o desenvolvimento da blockchain estivesse associado à criação de criptomoedas e a formas de pagamento descentralizadas, a verdade é que rapidamente a tecnologia foi aproveitada para ser aplicada no registo de todo o tipo de transações. E mesmo na cadeia de abastecimento, podemos utilizar a blockchain para permitir que os diversos participantes realizem diretamente transações entre si, garantindo a segurança e a conformidade das operações.

Por exemplo, esta tecnologia permite o rastreamento de um produto desde a sua origem até chegar às prateleiras de uma loja. Assim, a blockchain é uma tecnologia poderosa que pode ajudar as empresas da supply chain a serem mais ágeis, a minimizarem ineficiências (como os riscos associados aos atrasos nas entregas), a reduzirem custos e a simplificarem processos (entre outros, a redução do volume de papéis e documentação que tem de ser preenchida).

Aliás, os portos de Antuérpia, Roterdão e Singapura já utilizam documentação digital e os smart contracts da blockchain para desmaterializar documentos e automatizar processos. Também gigantes como a Walmart recorrem há vários anos a esta tecnologia para rastrear um conjunto alargado de produtos (desde mangas até à carne de porco).

De acordo com o estudo Blockchain in Logistics”, da PwC, são quatro os principais benefícios da blockchain na logística:

Melhorar a transparência e a rastreabilidade da cadeia de abastecimento

O recurso a esta tecnologia permite integrar toda a informação dos diversos atores e participantes da supply chain numa única fonte ou plataforma. A comunicação e a colaboração entre as diversas entidades é reforçada e, como tal, as operações são executadas mais rapidamente. Ao mesmo tempo, melhora-se a visibilidade das operações de todos os processos logísticos e torna-se mais fácil confirmar a proveniência dos produtos.

Garantir a segurança e autenticidade da documentação

Devido às características invioláveis do registo de transações da blockchain, esta tecnologia proporciona às empresas participantes da cadeia de abastecimento uma plataforma segura para trocarem dados e documentação entre si, à prova de fraudes e roubos.

Reduzir a complexidade dos processos logísticos

Aplicar a blockchain na logística facilita a automatização de processos. Operações como pagamentos ou verificações de cargas podem ser automatizadas pelo recurso aos smart contracts. Através destes mecanismos, é possível, por exemplo, definir o pagamento automático assim que for verificada a receção de um produto.

Melhorar a eficiência das operações logísticas

O modo de validação da informação trocada através da blockchain ajuda não só a evitar repetições de transações, como também erros que possam ocorrer por intervenção humana. Ao mesmo tempo, com a automatização de processos, as operações são executadas mais rapidamente. Tudo isto com menores custos.

Num contexto cada vez mais complexo e exigente para as empresas que participam nas cadeias de abastecimento globais, o recurso à blockchain, assim como a outras tecnologias inovadoras, surge como uma solução para as organizações melhorarem a colaboração com os seus parceiros, reduzirem custos, obterem uma visibilidade total sobre os produtos e as operações e manterem-se competitivas.

Se ambiciona tornar os processos logísticos mais ágeis, automatizados e transparentes, contacte-nos. Na Rangel, dispomos de um vasto conjunto de soluções de logística inovadoras e integradas que se adaptam às necessidades específicas de cada organização.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:
PwC, Blockchain in Logistics. Acedido a 10 de janeiro de 2022.
https://www.pwc.de/de/strategie-organisation-prozesse-systeme/blockchain-in-logistics.pdf
Supplychain247, Why Blockchain is a game changer for supply chain management transparency. Acedido a 10 de janeiro de 2022.
http://www.supplychain247.com/article/why_blockchain_is_a_game_changer_for_the_supply_chain
Exame Informática, Blockchain: o que é e como funciona. Acedido a 10 de janeiro de 2022.
https://visao.sapo.pt/exameinformatica/tutoriais/2020-12-10-blockchain-o-que-e-e-como-funciona/
Harvard Business Review, Bringing Blockchain, IoT, and Analytics to supply chains. Acedido a 10 de janeiro de 2022.
https://hbr.org/2021/12/bringing-blockchain-iot-and-analytics-to-supply-chains
Forbes, Blockchain in supply chain. Acedido a 10 de janeiro de 2022.
https://www.forbes.com/sites/forbestechcouncil/2021/11/08/blockchain-in-supply-chain/?sh=36d972b44e1a

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.