3PL, 4PL e 5PL: principais diferenças e aplicações

3PL, 4PL e 5PL: principais diferenças e aplicações

O aumento da concorrência, a exigência crescente dos consumidores e a generalização do e-commerce impuseram maior profissionalismo aos serviços logísticos. Dessa forma, o outsourcing logístico, nomeadamente as designações 3PL, 4PL e 5PL, foi-se estabelecendo como a melhor alternativa para as empresas. Estas podem assim delegar uma área crucial do negócio a parceiros especializados.

A aposta no outsourcing logístico demonstra um conjunto de vantagens, permitindo ganhar eficiência numa área que as empresas não dominam e, em simultâneo, reduzir custos. E, chegada a altura de tomar decisões quanto à subcontratação destes serviços, é crucial decidir quais os níveis de externalização. É então aqui que entram os chamados PL ou Party Logistics.

O que é o PL ou Party Logistics?

O conceito PL, sigla para a expressão inglesa Party Logistics, designa as partes ou componentes de um processo logístico. Desse modo, há a considerar várias tarefas, tais como:

  • transporte doméstico;
  • transporte internacional;
  • despacho aduaneiro;
  • armazenamento;
  • gestão de stocks;
  • distribuição.

Pois bem, consoante as operações logísticas que integra, as designações são 1PL, 2PL, 3PL, 4PL e 5PL, numa escala que vai de um menor a um maior grau de externalização do serviço. Através destes graus de outsourcing, estabelece-se de uma forma clara que operações ficam do lado da empresa e quais são da responsabilidade do parceiro logístico.

Por um lado, os níveis mais básicos (1PL e 2PL) implicam que não haja um outsourcing das operações ou que este seja muito reduzido. No primeiro caso, a empresa assegura todos os serviços logísticos sem recorrer a nenhuma espécie de externalização.

No 2PL, por outro lado, a empresa opta por delegar ao parceiro logístico apenas a tarefa de levar os produtos de um ponto A até um ponto B. Esta é a solução procurada por alguns negócios de e-commerce, que precisam de assegurar uma boa resposta aos clientes no que diz respeito às entregas.

Importa, pois, perceber com maior detalhe os serviços 3PL, 4PL e 5PL, em que a externalização logística assume maior relevo.

3PL Third-party logistics

Quando a empresa faz o outsourcing logístico de recolha, armazenamento e distribuição, numa operação que a própria coordena, está em causa o chamado 3PL. Ou seja, neste caso, todo o fluxo de produtos é gerido pela empresa e o parceiro logístico assume a responsabilidade de armazenar e gerir os produtos em armazém, acondicioná-los para entrega e fazer a distribuição.

Aqui, o parceiro está a acrescentar valor, prestando serviços que terão impacto no desempenho e na eficiência operacional do próprio negócio, ainda que numa esfera muito ligada às transações e operações do dia a dia.

Esta é a opção mais comum no âmbito da subcontratação logística, evidenciando um elevado grau de satisfação. De acordo com o “2021 Third-Party Logistics Study – The State of Logistics Outsourcing”, entre os inquiridos, 88% das empresas e 99% dos parceiros 3PL consideram que a relação tem sido bem-sucedida. Além disso, 76% dos que recorrem a serviços 3PL e 92% dos fornecedores de 3PL concordam que este permite novas e inovadoras formas de melhorar a eficiência da logística.

4PL Fourth-party logistics

Quando a gestão completa das operações está do lado do parceiro logístico, sendo este responsável por todo o fluxo de produtos, falamos em 4PL. Este conhece as necessidades e o planeamento do cliente e, em função disso, administra toda a cadeia logística, integrando as pessoas, os processos e a tecnologia envolvidos.

Assumindo todas as tarefas definidas no 3PL, o 4PL integra, além disso, a gama de fornecedores, bem como o armazenamento, a organização e a entrega. A consultoria, o planeamento e a análise estão também do lado do parceiro logístico, sempre apoiados na componente tecnológica.

Explicando as vantagens do 4PL, o estudo “Fourth Party Logistics Market Forecast to 2027 – COVID-19 Impact and Global Analysis by Type, and End User” refere:

“Uma relação 4PL simplifica e agiliza a função logística usando a tecnologia para obter maior visibilidade e impor disciplina operacional a vários parceiros e fornecedores. A empresa pode concentrar-se nas suas competências essenciais e contar com o parceiro 4PL para gerir a função da cadeia de fornecimento e obter, assim, o máximo valor.”

5PL Fifth-party logistics

Quando entramos no universo 5PL, o parceiro é já um agregador com uma visão global de toda a operação, criando, organizando e implementando soluções logísticas em nome de vários clientes. Neste âmbito, junta as necessidades de vários 3PL, sendo capaz de gerir diversas cadeias de abastecimento. Assume, por isso, funções de procurement, negociando em benefício do cliente e, dessa forma, garante eficiência e melhores condições.

Esta é a escolha de empresas que precisam sobretudo de um parceiro estratégico na área da logística capaz de gerir todas as redes da cadeia de abastecimento, tendo uma forte componente tecnológica. É o caso, por exemplo, dos negócios de e-commerce. Assim sendo, passam a ser críticas funcionalidades como a análise de dados e a aplicação de inteligência artificial, que permitem ter acesso à informação e tomar decisões em tempo real.

Aliás, a componente tecnológica e a criação de verdadeiras parcerias estão a ditar o futuro no outsourcing logístico, segundo o “2021 Third-Party Logistics Study”, caminhando em direção a relações de parceria estratégicas e preferenciais e afastando-se cada vez mais das relações meramente transacionáveis.

Conte com as soluções integradas de logística da Rangel, um operador com competência para responder às exigências de toda a cadeia de abastecimento.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:
Infosys Consulting, 2021 Third-Party Logistics Study – The State of Logistics Outsourcing. Acedido a 9 de fevereiro de 2021.
https://www.infosysconsultinginsights.com/insights/3pl/
ReportLinker, Fourth Party Logistics Market Forecast to 2027 – COVID-19 Impact and Global Analysis by Type, and End User. Acedido a 9 de fevereiro de 2021.
https://www.reportlinker.com/p05950848/Fourth-Party-Logistics-Market-Forecast-to-COVID-19-Impact-and-Global-Analysis-by-Type-and-End-User.html?utm_source=GNW
ResearchGate, E-Logistics Comparative Positioning Model: A Multi-National Enterprise Airline Study. Acedido a 9 de fevereiro de 2021.
https://www.researchgate.net/publication/221365882_E-Logistics_Comparative_Positioning_Model_A_Multi-National_Enterprise_Airline_Study#pf2

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *