Rangel utiliza inteligência artificial para monitorar cargas marítimas

22 Jun 2021
rangel-implementa-inteligencia-artificial-monitorar-cargas-maritimas
Texto escrito em Português do Brasil


Solução adotada pela Rangel monitora em tempo real a localização e o status de cargas em qualquer companhia de navegação


A Rangel implementou uma inteligência artificial (IA) capaz de monitorar em tempo real cargas marítimas a partir de informações de várias fontes, se antecipar a mudanças de programação e criar soluções para situações inesperadas do dia a dia do mar ou até contingências extremas, como o recente bloqueio do Canal de Suez.

O sistema Rangel Track & Trace entra em operação neste mês após "ter aprendido” a interpretar informações das companhias de navegação, de terminais portuários, de autoridades alfandegárias, dados de localização via satélite, da internet e de serviços de rastreamento independentes, consolidados na plataforma da empresa.

A expectativa é solucionar um gargalo relevante das empresas de comércio exterior em todo mundo, que é obter informação precisa sobre o paradeiro e o status de cargas. Especialmente em situações inesperadas como transbordos não programados para navios de outras companhias, alterações de rotas, cancelamentos, filas de espera em portos e bloqueios de rotas marítimas.

"A realidade é que o transporte marítimo ainda é um negócio bastante analógico. Muitas companhias atualizam suas bases de dados manualmente. Há grande delay nas informações, e os dados disponíveis não costumam refletir a realidade do que está acontecendo com a carga”, afirma Enrique Garcia, diretor de desenvolvimento de negócios na América Latina do operador logístico, que é o terceiro no ranking de transporte de perecíveis entre Europa e o Brasil.

A partir de recursos de big data, a IA da Rangel acessa logo após a emissão e organiza dados esparsos e sem padronização dos manifestos de cargas de 60 companhias responsáveis por mais de 90% do tráfego marítimo global. O sistema também acessa as informações de antenas presentes na quase totalidade dos terminais de contêineres mundo afora, que identificam com exatidão a partida e chegada de navios.

Outro benefício é a possibilidade de minimizar atrasos e custos não cobertos pelas atuais apólices de seguro marítimo com detention e demurrage (taxas aplicadas quando os prazos de estadias de contêineres são excedidos no destino ou na origem) gerados por imprevistos, como, por exemplo, os frequentes congestionamentos no Porto de Santos.


Consulte aqui notícias da Imprensa Brasileira, relacionadas com este tema:

IP News

Revista Portuária

Empresas & Negócios

Jornal do Comércio