Rangel lança unidade Wine para liderar o transporte internacional de vinhos

16 Jun 2016
Rangel lança unidade Wine para liderar o transporte internacional de vinhos - Notícias
"Com a nova operação, pretendemos seruma referênciapara o transporte de vinho para os produtores nacionais e internacionais, nomeadamente de e para países onde estamos presentes diretamente, como Brasil, Angola, Moçambique e Cabo Verde, mas também àqueles com quem temos relações preferenciais”, frisa Nuno Rangel, CEO – Vice-Presidente Rangel.

A Proposta de Valor da Rangel combina os serviçosdearmazém para vinhos tranquilos e de vinhos espumantes e espumosos, com as respetivas formalidades fiscais junto da estância aduaneira competente e o transporte internacional, oferecendo serviços especializados e flexíveis, numa infraestrutura logística que apresenta condições de temperatura e de humidade adequadas para o estágio do produto e com capacidade para 20.000 paletes.

O entreposto também será usado como armazém temporário para encomendas de vinhos de outros países,pois, como refere Nuno Rangel, "através danossa forteredeeuropeia de transportes, os vinhos são recolhidos por camião em qualquer ponto da europa, fazendo a consolidação no entreposto fiscal do Montijo e depois expedidos, num único contentor, por via marítima para o país de cada importador, como exemplo Brasil, EUA, Canada, ou China e Japão são países que se têm revelado com bastante procura.”

Para além dos serviços regulares de armazenamento e de expedição de vinho à palete ou à caixa, realiza atividades conexas de rotulagem e de contra rotulagem de garrafas, igualmente num entreposto fiscal. São também disponibilizadas caixas à medida para o transporte de amostras de 1 e 3 quantidades, ficando também assegurado o transporte por via expresso internacional.

Paralelamente, encontra-se já em estudo o alargamento a prazo do âmbito do entreposto fiscal para bebidas espirituosas e ainda para cervejas, o que irá conferir à Unidade ainda maior valor endogeneizado.

Segundo Nuno Rangel existem vantagens competitivas para os produtos e os importadores:"A nossa solução aproxima os produtores dos importadores, e anossa armazenageméaideal para produtores que exportam os seus vinhos, colocando o vinho de forma fácil a agregada para o importador.Além disso facilitamos todo o processo administrativo tanto nas questões legais como nos transporte, beneficiando em trabalhar com um operador logístico com abrangência internacional, que independentemente do volume a transportar, poderá consolidar tudo num só transporte.” Refere Nuno Rangel.

O Brasil é grande aposta desta unidade, tendo a Rangel instalações próprias e tendo em consideração o volume de exportações de vinho português para este país,decidiu oferecer para além dos serviços base existentes, serviços dedicados de logística integrada também para este segmento dos vinhos, que inclui a recolha de vinhos em França, Espanha e Itália.

A empresa já tem diversas parcerias fechadas com produtores nacionais e com importadores internacionais.
Recorde-se que, da produção total de vinho em Portugal, 45% é destinado a exportação, sendo que o setor dos vinhos representa já 1,5% das exportações totais nacionais.