Rangel estrutura e-commerce no exterior para clientes que querem exportar

24 Ago 2021
Rangel estrutura e-commerce no exterior para clientes que querem exportar
Texto escrito em Português do Brasil


De olho na expansão do comércio eletrônico em nível mundial decorrente da pandemia, a Rangel Logistics Solutions decidiu vender produtos de clientes para consumidores finais no exterior, num projeto que associa serviços logísticos tradicionais à operação de lojas virtuais de abrangência internacional.

A iniciativa de auxiliar clientes a vender os seus produtos não é nova na empresa. As primeiras ações do tipo foram organizadas há quase uma década para clientes interessados em terceirizar parte de suas operações ou ampliar a rede de revendedores. 

"Há alguns anos, percebemos que a logística em si iria se transformar numa commodity e, então, decidimos incluir na nossa estratégia camadas de serviços de valor agregado, para trazer valor ao negócio do cliente, contexto em que surge o projeto de e-commerce", explica o gerente de projetos de e-commerce da Rangel, Ricardo Borges.

Desde abril, a fabricante brasileira de cadeiras para escritórios Flexform comercializa sua linha de produtos em Portugal por meio de uma loja virtual (www.MyChair.pt) desenvolvida pela equipe da Rangel. Nesta primeira fase, a venda se restringe a Portugal, enquanto estratégias de marketing digital com foco no aumento das vendas são implementadas. A meta, no entanto, é ampliar no médio prazo a abrangência da loja para Espanha e o resto da Europa. 

Além do componente digital, a Rangel atua na parte física da operação, fazendo a coleta de mercadorias nas fábricas da Flexform no Brasil, o transporte desembaraçado até seus armazéns em Portugal e o fulfillment, que consiste na separação das encomendas, no empacotamento e no envio ao endereço do comprador após a compra no site.

O diretor de desenvolvimento de negócios da Rangel, Enrique Garcia, destaca que, ao delegar a operação online ao operador logístico, a Flexform pôde estruturar uma operação internacional enxuta, que demandou investimento direto apenas na contratação de um executivo de negócios em solo europeu. 

"A Flexform agora pode acessar consumidores em toda Europa por meio da nossa plataforma, sem contratar equipes, investir grandes somas de tempo e dinheiro. Tudo isso com um fulfillment simplificado, a cargo de uma única empresa, a administrar fluxos complexos do Brasil até a todos os cantos da Europa, numa proposta atraente para qualquer empresa, especialmente as que estão nos primeiros passos da internacionalização”, resume.


Consulte aqui notícias da Imprensa Brasileira, relacionadas com este tema: