Transporte de Obras de Arte: aspetos a considerar

Transporte de Obras de Arte

O transporte de obras de arte é, por si, uma arte meticulosa e altamente exigente. Subjaz a cada quadro, escultura, artefacto cultural ou antiguidade uma série de exigências específicas que precisam de ser analisadas adequadamente, de modo que a sua movimentação se realize com toda a segurança e com as condições de preservação garantidas.

Do primeiro momento de manuseamento até ao ponto de entrega final, trata-se de um processo logístico que exige um elevado grau de delicadeza e, certamente, de especialização.

A importância da especialização no transporte de obras de arte

Num artigo intitulado “How to move a masterpiece: the secret business of shipping priceless artworks”, de Andrew Dickson, jornalista cultural do Guardian, menciona-se uma história com mais de cinco séculos. Falamos do momento em que a grandiosa estátua de David, esculpida por Michelangelo, foi transportada do estúdio do artista para a Piazza della Signoria, em 1504.

Com 5,17 metros de altura, foi então necessária uma equipa composta por mais de 40 homens, que trabalharam durante quase um mês com recursos bastante rudimentares, para movimentar este gigante de mármore. Nos dias de hoje, todo o processo seria, evidentemente, conduzido de forma bastante diferente.

O transporte de obras de arte é, na atualidade, regido por um sem-número de normas e de preceitos rigorosos. Por isso, a maior parte dos museus e das galerias de arte não aceita que estes processos logísticos, geralmente pautados pela sua minúcia, sejam efetuados por operadores de carga geral.

Assim, uma empresa especializada em transporte de obras de arte garante, necessariamente, um serviço mais seguro, zeloso e adequado à importância e sensibilidade deste tipo de património. É tão delicado como o transporte de órgãos.

Como transportar obras de arte de forma segura?

Do detalhado processo de planificação até à retirada e acomodação das obras no destino, são muitos os aspetos que importa considerar no transporte de obras de arte.

Planeamento

Em primeiro lugar, é imprescindível que o planeamento do transporte de obras de arte tenha em consideração a resposta a algumas questões basilares. Damos alguns exemplos:

  • Qual a rota mais eficiente e segura para a operação?
  • No decorrer da rota definida, que condições ambientais se irá encontrar?
  • Qual(ais) o(s) meio(s) de transporte mais adequado(s) para a operação?
  • Ocorrerá alguma fiscalização alfandegária?
  • Quais as regras estipuladas e a documentação necessária para o transporte de obras de arte nos países e nas regiões incluídos na rota?
  • As medidas de segurança adotadas são adequadas às necessidades específicas de cada obra?

É, então, crucial que, nesta fase, se proceda a uma análise atenta de todas as etapas necessárias à movimentação destas obras ou antiguidades. Só dessa forma se podem prever as situações e os contratempos que podem surgir aquando da operação.

De notar que, no momento da planificação, é importante identificar o peso, as dimensões e o material, bem como o(s) veículo(s) mais adequado(s) e os locais de saída e de entrada na origem e no destino, respetivamente.

De igual modo, quando aplicável, é necessário reunir atempadamente toda a documentação aduaneira requerida e tratar de taxas, encargos diversos e autorizações exigidas, procurando assim evitar atrasos, bloqueios ou coimas.

Acondicionamento

Conforme referido pelo “Handbook for Packing and Transporting Paintings”, da National Gallery of Art, de Washington D.C., o processo de acondicionamento, que precede o transporte de obras de arte, deve ter em conta a sensibilidade de cada carga a fatores como:

  • A humidade relativa;
  • As oscilações de temperatura;
  • A vibração;
  • O impacto.

O material de embalagem tem, portanto, de ser escolhido de acordo com as especificidades e necessidades de cada peça, cumprindo todos os requisitos indicados para a sua correta conservação. Trata-se de um procedimento decisivo para evitar danos ou simples marcas nos bens a transportar.

Movimentação da carga

O transporte de obras de arte procura recorrer a um conjunto de métodos que permita, no fundo, realizar toda a operação sem qualquer consequência para a integridade das obras. Por conseguinte, é imperioso que se utilizem determinadas ferramentas e técnicas específicas de carregamento e de movimentação, mediante a avaliação da equipa especializada.

Da mesma forma, também as condições do(s) meio(s) de transporte selecionado(s) desempenham um papel determinante no transporte de obras de arte. O ideal é que as condições ambientais reproduzam, da maneira mais fidedigna possível, aquelas que se encontram num museu ou numa galeria de arte. Assim, existem características que devem ser asseguradas, como:

  • Isolamento térmico;
  • Controlo da temperatura e da humidade;
  • Sistema de extinção de incêndio;
  • Sistemas de fixação, que permitam impedir o deslocamento da carga;
  • Sistema de geolocalização.

No transporte rodoviário, por exemplo, é aconselhável que o veículo esteja, ainda, devidamente equipado com um sistema de suspensão pneumática, de modo que se possam minimizar oscilações e vibrações nas obras.

Medidas de segurança

Tendo em conta o valor (financeiro, cultural ou patrimonial) que é, muitas vezes, inerente a este tipo de peças, a preocupação com a segurança não pode ser descurada. Dos sistemas antirroubo do(s) veículo(s) à vigilância constante das obras, todos os detalhes devem ser acautelados para salvaguardar a proteção das obras.

No caso do transporte terrestre, é obrigatória a utilização de dois motoristas em simultâneo, conforme estabelecido pelo setor de atividade. Além disso, importa garantir a comunicação contínua através de um telemóvel principal e de um alternativo.

O serviço de transporte de obras de arte da Rangel

Decorria o ano de 1998 quando foi criada, no seio da Rangel, a unidade FeirExpo. Esta equipa especializada em logística e transporte de obras de arte surgiu no contexto da Exposição Mundial de Lisboa, a EXPO’98.

Com mais de 20 anos de atividade, esta unidade inteiramente dedicada a estes serviços especializados de logística colaborou nos mais desafiantes projetos nacionais e internacionais. Investindo continuamente na modernização e na renovação das suas infraestruturas e da sua frota, bem como na formação constante dos seus colaboradores, garante um serviço seguro, eficaz e adaptado às particularidades de cada cliente.

Se procura um operador certificado internacionalmente para o transporte de obras de arte, confie na experiência do grupo Rangel.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:
The Guardian, “How to move a masterpiece: the secret business of shipping priceless artworks”. Acedido a 18 de julho de 2022.
https://www.theguardian.com/
National Gallery of Art, “Art in Transit: Handbook for Packing and Transporting Paintings”. Acedido a 18 de julho de 2022.
https://repository.si.edu
Government of Canada, “Features of Effective Packaging and Transport for Artwork”. Acedido a 18 de julho de 2022.
https://www.canada.ca/en/conservation-institute/
Founder’s Guide, “Planning To Ship or Transport Art? Here Are 5 Major Considerations”. Acedido a 18 julho de 2022.
https://foundersguide.com/

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.