Qual a importância da tecnologia RFID na logística de um armazém?

A importância da tecnologia RFID na logística de um armazém 1

A tecnologia é um forte aliado das empresas por tornar as suas operações logísticas mais rápidas, eficientes e com maior capacidade de adaptação às novas tendências de mercado. A tecnologia RFID (Radio Frequency Identification) é um instrumento de digitalização com um papel transformador na gestão dos inventários e na organização dos armazéns, devido à visibilidade que a solução permite.

Trata-se de uma tecnologia de identificação automática que utiliza sinais de rádio para identificar, confirmar e partilhar remotamente dados de um determinado produto.

Os projetos com pórtico RFID permitem a exclusão da necessidade de recorrer a um RF para as operações logísticas, salvaguardando cerca de 10 segundos por movimento. A tecnologia permite a criação/confirmação de pedidos entre depósitos de armazenagem com possibilidade de rastreabilidade completa. Em projetos mais avançados, existe a possibilidade de integrar a tecnologia RFID com um monitor de movimentos em tempo real no shop floor do armazém.

Descubra o que é, como se implementa e quais os principais benefícios das empresas que incorporam os sistemas RFID nos seus armazéns.

O que é e como funciona, em termos práticos, a tecnologia RFID?

Este sistema de transmissão de dados por radiofrequência permite às empresas saberem, de forma automática e em tempo real, onde se encontram os produtos, quais as quantidades existentes e em que fase do processo logístico se encontram. Permitem também criar ordens de transferência entre depósitos de armazenagem.

Deste modo, através deste sistema de comunicação com recursos a ondas de rádio, é possível identificar cada produto, facilitando o seu rastreamento. Mas, em termos práticos, como funciona a tecnologia? Simplificando, os sistemas RFID são compostos por diversos elementos, sendo os mais relevantes as tags e os leitores de RFID.

Tags RFID

Também conhecidas por etiquetas eletrónicas ou RF tags, estas etiquetas RFID possuem um chip que regista os dados e a informação sobre cada produto (p. ex: número de série, lote, dados do fabricante, entre outros), permitindo a sua identificação e rastreamento.

 Leitores RFID

Recorre-se aos leitores RFID para captar ou ler dados que estejam registados e codificados nas tags. Estes leitores, por norma, encontram-se instalados em pontos específicos do armazém (junto às zonas de entrada e de saída). Conforme decorrem os movimentos, os dados são processados e atualizados pelo sistema WMS (warehouse management system) da empresa.

Ao contrário do que acontece com os sistemas de leitura de códigos de barras, em que é necessário um contacto próximo entre o leitor e a etiqueta para que a leitura decorra, na tecnologia RFID essa questão não se coloca. Neste caso, a leitura das etiquetas é realizada com recurso a ondas de radiofrequência, permitindo identificar até diversos produtos ao mesmo tempo, sem necessidade de qualquer contacto visual direto. Isto permite que se identifiquem, por exemplo, que se identifiquem produtos que se encontram dentro de uma caixa em armazém sem ser necessário abri-la ou remover o seu selo de autenticidade.

Principais benefícios da implementação da tecnologia RFID em armazém

A integração da tecnologia RFID num armazém permite impulsionar a eficiência, o rigor e a velocidade das operações nas diversas etapas: desde o recebimento, entrada e confirmação das mercadorias em armazém, passando pelo seu armazenamento, picking, até à expedição.

Menos erros e maior produtividade das equipas

Numa empresa que ainda não tenha implementado a digitalização de operações, os processos e rotinas dentro de um armazém são feitos recorrendo a papel, implicando a inserção manual dos dados que consome tempo e recursos. Com a implementação dos sistemas RFID, várias tarefas passam a ser realizadas de forma automática, poupando tempo e libertando a equipa para a realização de outras tarefas de valor acrescentado.

Informação em tempo real

Estas soluções estão integradas com a rede wireless e os diversos softwares de gestão da empresa (SAP, por exemplo), fornecendo informações atualizadas e em tempo real dos produtos que entram e saem do armazém permitindo inclusive controlar o estado de transferência entre depósitos de armazenagem. Além disso, é possível saber com maior precisão a data do movimento e a localização exata dos produtos no armazém ou centro de distribuição.

Diminuição de perdas e roubos

A visibilidade proporcionada pelos sistemas RFID permite o rastreamento dos produtos, diminuindo o risco de situações de perdas ou roubos de mercadorias. Dado que as leituras são imediatas ocorre menos apetência ao roubo e furto.

Maior controlo sob os inventários

A tecnologia RFID facilita o controlo de entradas e saída de produtos, possibilitando às equipas uma gestão mais rigorosa dos inventários. A empresa sabe, em qualquer momento, que quantidade de um determinado produto tem disponível em armazém. Além disso, pode fazer uma avaliação imediata do momento ideal para efetuar novas encomendas e repor os stocks. O sistema RFID comparativamente a métodos mais tradicionais permite um rastreamento em tempo real, mais dinâmico que resulta em tempo de resposta mais ágeis.

O que deve ser acautelado no momento da implementação desta tecnologia?

As empresas que ambicionam digitalizar as operações nos seus armazéns e equacionam incorporar um sistema RFID deverão analisar antecipadamente não só os benefícios, mas também os custos e os requisitos associados a este investimento. Muitas vezes são necessárias equipas multidisciplinares para a implementação de soluções desta tipologia.

Custos

A tecnologia RFID tem sido melhorada e otimizada ao longo do tempo. Não obstante, a sua implementação poderá representar um investimento elevado para muitas empresas. Além dos custos com a aquisição do software e do hardware,há que contabilizar as despesas necessárias para a manutenção do sistema e aquisição das tags. É fundamental fazer uma avaliação aos custos e benefícios associados a esta tecnologia. Assim, é possível decidir de forma informada se esta solução se revela competitiva, ou se será preferível optar por outra solução para o controlo dos stocks em armazém.

Aspetos técnicos

Deverá ainda ter em atenção algumas questões técnicas que influem no funcionamento desta tecnologia. Estas incluem, por exemplo, a distância de leitura, a identificação de “pontos cegos” (onde não é possível obter a leitura RFID), os obstáculos existentes entre as etiquetas e os leitores até mesmo as proteções com pilares por forma a evitar qualquer dano provocado por pessoas ou equipamentos.

RFID ativo ou passivo?

Uma das escolhas que as empresas terão de fazer é definir qual a tecnologia RFID ideal para a sua organização. Num sistema RFID ativo, as etiquetas (ou tags) possuem uma fonte de alimentação própria e enviam os dados para as antenas ou leitores, por meio da energia da sua bateria. Apresentam a vantagem de possuirem um alcance de leitura mais longo. Por outro lado, no RFID passivo, as etiquetas recorrem da energia emitida através das ondas de radiofrequência (transmitida pelos leitores) para enviarem os dados.

Formação dos colaboradores

A falta de formação ou uma comunicação menos conseguida junto das equipas sobre os benefícios da tecnologia RFID podem levar a que a organização não consiga rentabilizar ao máximo os benefícios proporcionados por este sistema. É importante que todos os intervenientes compreendam o funcionamento deste instrumento assim como é relevante o envolvimento de toda a estrutura organizacional das equipas por forma a garantir todo o alinhamento desejado.

Integração com os restantes sistemas

Cada vez mais, o sucesso das operações logísticas assenta numa verdadeira integração dos diversos sistemas das empresas, para garantir a máxima coordenação das operações entre os vários departamentos e com os diversos parceiros. Nesse sentido, o sucesso da incorporação de um sistema RFID num armazém implicará a sua integração com o sistema WMS ou ERP.

Se procura soluções de armazenagem mais ágeis para a sua organização, contacte-nos. O grupo Rangel conta com uma equipa especializada que poderá ajudá-lo a esclarecer as dúvidas e a encontrar as melhores soluções logísticas de armazenagem para que o seu negócio se mantenha competitivo.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:
Truck Pulse, “How RFID is changing the future of logistics and supply chain management?”. Acedido a 25 de maio de 2022.
https://mytruckpulse.com/blog/rfid-in-supply-chain-management-and-logistics.html
Instituto de Marketing Research. “RFID: Saiba o que é e como utilizar na sua empresa”. Acedido a 25 de maio de 2022
https://www.imr.pt/pt/noticias/rfid-saiba-o-que-e-e-como-utilizar-na-sua-empresa
Blog Logística, “Tecnologia RFID: O que é e como se aplica na área logística?. Acedido a 25 de maio de 2022.
https://bloglogistica.com.br/tecnologia/tecnologia-rfid-o-que-e-e-como-se-aplica-na-area-logistica/

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.