Como alcançar a sustentabilidade na cadeia de abastecimento

sustentabilidade na cadeia de abastecimento 01

Ao longo dos últimos anos, o conceito de sustentabilidade tem vindo a assumir um papel cada vez mais relevante, não só na sociedade, mas também no meio empresarial, onde se verifica uma crescente preocupação das empresas em encontrar soluções que lhes permita alcançar a sustentabilidade na cadeia de abastecimento. Pressionadas pelos consumidores, cuja procura por produtos e serviços mais sustentáveis aumentou consideravelmente, mas também pela emergência climática e ambiental que o planeta atravessa, as empresas têm-se mostrado empenhadas nesta temática.

De acordo com o World Commission on Environmental and Development (WCED), o termo sustentabilidade define-se como um “desenvolvimento que atende às necessidades da atual geração, sem comprometer a capacidade das gerações futuras atenderem às suas necessidades”. O mesmo termo, quando aplicado à supply chain, refere-se à visão holística de todos os processos que compõem a cadeia de abastecimento, e pretende avaliar os aspetos ambientais, sociais, económicos e legais que a impactam diretamente. 

Desta forma, e para que a cadeia de abastecimento seja considerada sustentável, a empresa tem de garantir que essa qualidade – a sustentabilidade – é intrínseca a todas as etapas da supply chain, desde a forma como é obtida a matéria prima, passando pelo modelo de produção até ao processo logístico final, que assegura a entrega do produto ou serviço ao consumidor. Contudo, e embora se verifique por parte das empresas a intenção de aplicar o conceito às suas realidades, alguns estudos sublinham a dificuldade em concretizá-lo, devido à complexidade e número de intervenientes que compõem normalmente uma cadeia de abastecimento. 

Embora não seja possível afirmar que existe uma fórmula universal para alcançar a sustentabilidade na cadeia de abastecimento, de acordo com as conclusões de vários estudos realizados sobre este tema, é fundamental que as empresas unam esforços no sentido colaborativo, trabalhando em parceria e em prol do benefício comum, nomeadamente das próprias empresas, do consumidor, da sociedade e do meio ambiente. 

6 passos para atingir a sustentabilidade na cadeia de abastecimento

1. Elaborar um mapa da cadeia de abastecimento

Tomar conhecimento, na integridade, de todos os intervenientes e processos que compõem a cadeia de abastecimento é fundamental para identificar questões críticas e áreas de melhoria. A visão holística que terá após o mapeamento da supply chain, permitirá perceber quais os segmentos que estão a impactar negativamente e que necessitam de ser melhorados. De acordo com a área de negócio, os “desafios” a enfrentar podem variar significativamente pelo é aconselhável ter um conhecimento efetivo da realidade de cada empresa.

2. Definir metas de sustentabilidade da cadeia de abastecimento

Após ter uma visão detalhada da cadeia de abastecimento e entender a dimensão dos “desafios” a enfrentar, é importante definir os objetivos a que se propõe. Para além de ser um fator de motivação interna, a definição de metas a atingir vai também permitir acompanhar e medir os progressos feitos nesse sentido. Nesta etapa, é aconselhável estabelecer objetivos alcançáveis, modelando-os de acordo com aquilo que são as possibilidades da empresa.

3. Estimular a mudança interna

As alterações necessárias para alcançar a sustentabilidade na cadeia de abastecimento não exigem apenas mudanças de processos e modelos, mas também mudanças na cultura da empresa e na conduta das equipas. Nesse sentido, a aposta na formação e motivação dos recursos humanos e parceiros não deve ser descurada. A partilha de casos de sucesso e das ferramentas necessárias para alavancar as mudanças revela-se, por isso, uma necessidade.

4. Incentivar e apoiar a mudança de comportamento dos fornecedores

Como já foi referido anteriormente, a sustentabilidade não pode ser alcançada unilateralmente, sendo necessária a cooperação com todos os intervenientes, especialmente com os fornecedores. Assim, é importante apoiar e ajudar os atuais fornecedores a cumprir os compromissos estabelecidos, dando formação e as ferramentas necessárias para que possam evoluir sustentavelmente também. Na seleção de novos fornecedores, é importante, desde logo, apresentar os compromissos da empresa, e assegurar, através de auditorias ambientais periódicas, que estão a cumprir as normas inicialmente definidas. 

5. Implementar o uso de tecnologia na gestão da cadeia de abastecimento

É inegável o contributo da tecnologia na manutenção da cadeia de abastecimento, uma vez que permite uma gestão integrada dos processos, desde o registo, armazenamento e o acesso à informação, bem como a partilha da mesma dentro da empresa e entre todos os parceiros e intervenientes. Não obstante os avanços que já permitiu, prevê-se que os contínuos avanços da tecnologia continuem a contribuir para o desenvolvimento de novos processos ainda mais sustentáveis, possibilitando otimizar ainda mais sustentabilidade da cadeia de abastecimento. Assim, é fundamental a aposta na implementação de ferramentas de gestão e medição de processos, de forma a acompanhar a evolução e identificar pontos de melhoria.

6. Colaborar com o mercado concorrencial

O expoente da sustentabilidade prevê que todos os intervenientes da sociedade devem trabalhar no mesmo sentido, pois num mercado cada vez mais exigente, os esforços individuais acabam por não ter expressão. Assim, as empresas devem unir-se no sentido de partilhar conhecimento e desenvolver em conjunto práticas sustentáveis benéficas para todos. Embora possa parecer contranatura, trabalhar com empresas concorrentes aumenta a maturidade social da empresa, permite alcançar mais rapidamente os objetivos estabelecidos e contribui para uma reputação pública credível e positiva.

A sustentabilidade na cadeia de abastecimento tem como alicerce o princípio de que o desenvolvimento de produtos e práticas socialmente responsáveis é benéfico não só para o meio ambiente, como também para a população (sociedade). Para além disso, denota, também, a responsabilidade social da empresa, melhorando a sua reputação e reconhecimento positivo junto dos consumidores.

É certo que não existe um modelo pré definido que dite as regras para alcançar uma cadeia de abastecimento sustentável, no entanto, através de uma análise introspetiva da supply chain é possível encontrar o ponto de partida para uma mudança que trará lucro à empresa mas também benefícios aos consumidores e ao meio ambiente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *