Stock Keeping Unit (SKU): o que é e qual a sua importância?

Stock keeping unit (SKU): o que é e qual a sua importância?

Um dos desafios logísticos com que as empresas têm de lidar diariamente é a organização dos inventários. Num contexto de expansão do eCommerce, transacionam hoje um maior volume de mercadorias, e a diversidade de produtos disponíveis é também cada vez mais alargada. Com centenas ou milhares de referências de produtos, como garantir a disponibilidade de todos os produtos em armazém, sem ruturas e, ao mesmo tempo, sem excesso de stocks? Além disso, como localizá-los rapidamente no espaço dos armazéns? O SKU – stock keeping unit – é um dos instrumentos disponíveis a que as organizações podem recorrer para organizar e gerir inventários e stocks de uma forma mais célere e rigorosa. Veja como funciona.

SKU: qual a sua utilidade?

Em termos resumidos, o SKU é um código de organização interna dos produtos em armazém. Resulta da combinação de um conjunto de letras e números e tem como objetivo controlar, rastrear e gerir o inventário.

Trata-se, assim, de uma referência que permite identificar e classificar os produtos no sistema da empresa, consoante as suas características principais. Por exemplo, imagine-se o caso de uma empresa dedicada à venda de produtos de desporto: os ténis da marca y, com tamanho 38 e de cor branca, têm um código SKU definido. Se existirem várias unidades do mesmo produto, com as mesmas características, todas elas serão registadas no sistema com o mesmo SKU. No entanto, para o mesmo modelo de ténis com cores e tamanhos diferentes, serão geradas diferentes referências.

Desta forma, o código SKU regista cada produto armazenado, consoante as suas principais especificidades. Torna-se então mais fácil para as equipas saberem quais as tipologias de produtos com vendas mais elevadas, os produtos onde é necessário fazer um reforço de stock, bem como aqueles onde se registam maiores dificuldades de escoamento. 

Como é definido um Stock Keeping Unit (SKU)?

Dado que se trata de um método de identificação e classificação de produtos para uso interno, cada empresa define os seus próprios parâmetros para a definição de um código SKU. Isto significa que o mesmo produto, com as mesmas características, possivelmente terá uma referência stock keeping unit diferente, consoante a empresa que o comercializa.

Apesar de cada organização definir a sua própria metodologia, idealmente, o SKU não deverá ser muito extenso (entre oito a 12 caracteres alfanuméricos), para facilitar a sua identificação e aplicação.

Vejamos um exemplo simples de como um código SKU pode ser pensado e implementado:

Produto

Código do Produto

Cor

Código da Cor

Tamanho

Código do tamanho

SKU

Ténis, marca x, modelo Y

T1

Branco

B1

38

038

T1B1038

Azul

B2

38

038

T1B2038

Branco

B1

40

040

T1B1040

Azul

B2

40

040

T1B2040

Contudo, é importante distinguir o SKU do código de barras. Ao contrário do SKU – uma referência criada e gerida internamente por uma empresa –, o código de barras é uma referência universal, determinada por padrões internacionais, que permanece estável ao longo do seu percurso em toda a cadeia de abastecimento.

Vantagens de implementar códigos SKU

Os benefícios da implementação de referências Stock Keeping Unit vão muito além da facilidade de identificação dos produtos. Estes códigos podem constituir uma ferramenta valiosa para melhorar os sistemas de gestão de inventário e até mesmo a experiência do consumidor.

Recorde-se que, no meio de uma grande diversidade de produtos e com a crescente complexidade das operações logísticas, a falta de um método de classificação das mercadorias conduz à desorganização e a erros que podem prejudicar o desempenho da empresa. Os códigos SKU constituem, assim, uma ferramenta que contribui para uma maior eficiência e produtividade das operações.

Controlo de stock

Um dos principais benefícios dos códigos SKU deriva do facto de conferirem uma maior transparência aos inventários e permitirem fazer um acompanhamento rigoroso e em tempo real dos níveis de stocks, bem como dos fluxos de vendas. Graças à informação gerada, é possível uma empresa definir alertas para iniciar novas ordens de compra de mercadorias, ou, pelo contrário, colocar em pausa novas ordens. Com esta gestão, evita-se a acumulação de stocks em excesso e diminui-se o risco de ruturas.

Organização do espaço em armazém

A eficiência dos armazéns é avaliada de acordo com diversos parâmetros. Entre eles, o tempo necessário para fazer o picking dos produtos. Para que estas operações sejam mais céleres, é importante saber onde estão localizados os produtos. Assim, as referências SKU ajudam este processo, facilitando a classificação e organização dos diversos produtos, e otimizando a sua disposição física nos armazéns.

Análise das vendas

O stock keeping unit é também utilizado como ferramenta analítica para apoiar as empresas a avaliar as vendas cíclicas ou sazonais, captar as tendências de vendas em função de diferentes públicos-alvo, e perceber os produtos mais populares e os que estão obsoletos.

Rastreamento dos produtos

Imagine-se o caso de uma empresa que fornece materiais de construção, com vários armazéns espalhados pelo país. Saber qual é a referência SKU dos pregos, das borrachas ou das torneiras é importante para que a empresa saiba exatamente em que armazém se encontram e a sua localização no mesmo. Desta forma, um código SKU funciona como uma espécie de GPS dos produtos.

Experiência de compra

A implementação de referências SKU é também uma ferramenta de apoio ao cliente. Por exemplo, os utilizadores de uma loja virtual gostam de saber informações como o número de unidades disponíveis de um produto e as lojas físicas onde esse bem está disponível. Ao mesmo tempo, se o produto ambicionado estiver esgotado, o sistema poderá sugerir produtos semelhantes, com base nas características principais do produto original.

Através da integração das referências SKU nas plataformas de eCommerce e nos vários sistemas da empresa (ERP e WMS), é possível os consumidores terem acesso a estas informações,  proporcionando-lhes uma melhor experiência de compra.

Se procura serviços de eCommerce para ajudar a sua empresa a crescer, a ser mais ágil e a integrar as suas operações, contacte-nos. O grupo Rangel conta com uma equipa especializada que poderá ajudá-lo a esclarecer as dúvidas e a encontrar as melhores soluções para que o seu negócio seja bem-sucedido no mundo digital.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.