Responder aos desafios dos seguros de transportes e logística

Responder aos desafios dos seguros de transportes e logística

Os serviços de logística enfrentam desafios constantes. Há picos de trabalho, surgem novos serviços, novos mercados ou novas tecnologias que criam exigências. Por isso, em todos os casos, há uma área que tem de acompanhar e estar à altura destes desafios: os seguros de transportes e logística.

A primazia da satisfação do cliente

A Rangel, pelo percurso de crescimento, inovação e diversidade de serviços que oferece, é a prova do quão crucial é a área dos seguros de transporte e logística. Acima de tudo está a satisfação do cliente, como explica Maria Helena Costa, Diretora de Gestão de Sistemas Integrados da Rangel. “Procuramos, ao máximo, proteger os nossos clientes e os produtos dos nossos clientes”, afirma.

Maria Helena Costa destaca, assim, a importância de um parceiro especializado na área dos seguros, para manter o nível de exigência “O nosso negócio não podia existir, com todo o dinamismo e a velocidade que tem, sem uma relação muito dinâmica e muito ágil”, explica, realçando o trabalho conjunto diário de quase 40 anos com a corretora de seguros portuguesa F. Rego. “Nunca deixámos de ganhar um negócio por falta de resposta em termos de seguros”, salienta.

Para que isso acontecesse, do lado da F. Rego foi preciso um trabalho constante de inovação e expansão do negócio. O grupo Rangel “é um verdadeiro desafio pela dimensão, pela diversidade de situações e pela constante inovação”, refere Pedro Rego, CEO da corretora de seguros portuguesa. Salienta as novas áreas de negócio que a Rangel introduziu e a expansão internacional, que levou o grupo a geografias com realidades diferentes e desafiantes.

Neste percurso, fica patente a procura de soluções customizadas e inovadoras na área dos seguros para oferecer a melhor opção ao cliente. “Além dos seguros por obrigação legal, oferecemos serviços complementares, dando conforto aos nossos clientes em caso de risco”, explica Maria Helena Costa. Em todos os casos, a F. Rego encontrou respostas, algumas tão inovadoras que acabaram por resultar na oferta de novos serviços ao mercado.

Seguros com proteção máxima

Na lógica de trabalho da Rangel e da F. Rego está a premissa de que é importante procurar proteger ao máximo os produtos dos clientes e os próprios clientes. Dessa forma, é preciso ir além dos seguros obrigatórios e alertar para os riscos. Afinal, estes existem e as notícias dão conta de alguns casos, como perda ou roubos de carga.

Consoante o cliente e o serviço, ajusta-se o tipo de seguro. Nos casos de contratação de uma operação logística que envolve a componente de transportes, podem estar envolvidos:

  • seguros de transporte para salvaguardar os sinistros que possam ocorrer durante o transporte terrestre, aéreo ou marítimo, seja este transporte internacional ou nacional;
  • seguros multirriscos, que asseguram o valor de todos os produtos armazenados em caso de acidente ou fenómeno da natureza;
  • seguros de responsabilidade civil, caso os bens fiquem danificados ou inutilizados, durante a operação e manuseamento.

Por exemplo, o seguro de transporte de carga por conta e ordem do cliente é facultativo. Faz-se sobretudo para que o contrato de transporte não esteja sujeito aos limites obrigatórios das convenções internacionais. É o caso do seguro CMR, a convenção relativa ao contrato de transporte internacional de mercadorias por estrada.

Pois bem, nos casos abrangidos pelas convenções, “as cláusulas que definem as obrigações dos operadores e dos danos que possam provocar às cargas têm várias interpretações, muitas exclusões e não garantem tudo aquilo que possa acontecer a uma carga”, salienta Pedro Rego. E acrescenta que podem ficar aquém do que é verdadeiramente necessário: “são definidos determinados limites e circunstâncias e, se não houver um seguro de transporte de mercadorias, podem ficar frustradas expectativas de indemnização”.

Uma questão pertinente porque a cadeia de abastecimento é cada vez mais longa e complexa. “Se estivermos protegidos, evitamos os diferendos comerciais e riscos financeiramente muito relevantes”, explica Pedro Rego.

Desafios e tendências nos seguros de transportes e logística

A dimensão da suply chain, na qual se destacam cadeias cada vez mais longas, multimodais e com maior número de interações, aumentando o potencial de dano ou de perda da própria mercadoria, é precisamente um dos desafios que Pedro Rego identifica quando olha para o universo dos seguros dos transportes e logística. Um desafio certamente notório nas operações da Rangel.

Ao mesmo tempo, o mercado tem evoluído, permitindo transferir operações logísticas internas para prestadores externos. Isso acontece com as grandes multinacionais, que subcontratam uma parte cada vez mais importante dos seus serviços para empresas como a Rangel. É o caso da gestão dos armazéns, dos stocks ou até da alimentação das linhas de produção.

Assim sendo, cria maior complexidade na área dos seguros. “As cláusulas e os contratos impostos acabam por criar exigências que têm de ser salvaguardadas em soluções de seguros cada vez mais robustas. Só uma empresa com capacidade de negociar e de oferecer uma solução seguradora como a Rangel pode concorrer a esse nível”, destaca o responsável da F. Rego.

Mas não é só. Como prova a situação vivida com a pandemia de Covid-19, os períodos de transporte estão cada vez mais sob controlo, impondo-se o just in time, explica Pedro Rego. “Qualquer falha ou atraso pode ter consequências que podem provocar a paralisação de uma linha de produção, uma falha de fornecimento ou uma rotura de stocks, ou seja, um conjunto de problemas para os quais as margens de tolerância estão cada vez mais curtas, provocando uma maior responsabilidade no cumprimento integral da cadeia de transporte.”

Perante os desafios e as tendências, da parte da Rangel os clientes podem ter uma garantia: nunca vão ouvir “não somos capazes de fazer” ou “não somos capazes de segurar”. “Essa não é a postura Rangel, lutamos para sermos capazes de encontrar as soluções adequadas às necessidades e interesses dos clientes”, garante Maria Helena Costa.

Por isso, se procura uma solução logística que lhe dê todas as garantias de segurança, na Rangel encontra a resposta às suas pretensões e exigências.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *