Redes 5G: uma nova era de logística conectada

redes 5g nova era logistica conectada

Desde a sua introdução que o 5G se tornou rapidamente o tema quente de todas as indústrias, e por uma boa razão. Até 2025, as redes 5G deverão estar ao alcance de um terço da população mundial, e um estudo sobre a economia do 5G concluiu que até 2035, o 5G poderia potencialmente permitir até 13,2 biliões de dólares em bens e serviços e criar até 22 milhões de novos empregos.

Mas o que é exatamente o 5G, e por que é que vai fazer tanta diferença na forma como o mundo funciona? Recorde-se que com o 3G, ou a terceira geração de tecnologia, os dados móveis foram avançados e o 4G trouxe uma nova era de banda larga móvel. Agora, o 5G – a quinta geração de tecnologia – irá introduzir as velocidades de ligação móveis mais altas e as taxas de latência mais baixas alguma vez registadas. Os novos níveis de conectividade criados pelo 5G têm o potencial de impactar quase todas as indústrias, tornando os cuidados de saúde totalmente remotos, as cidades inteligentes e a logística digitalizada.

De facto, o 5G pode ser a tecnologia que finalmente empurra toda a indústria logística para a total digitalização de que necessita. Quase 90% dos fornecedores de logística e transporte marítimo dizem que a falta de visibilidade da cadeia de abastecimento é um dos maiores desafios do setor atualmente, e um outro estudo descobriu que 85% das transportadoras e destinatários inquiridos acreditam que a indústria é “lenta” na digitalização ou está “muito atrás na curva da mudança”. A rede 5G poderá mudar isso, criando um novo quadro maciço para tecnologias logísticas conectadas, que vão desde ioT a veículos autónomos passando pelo rastreio em tempo real. De facto, um relatório da consultora Gartner revelou que dois terços das organizações planeiam implantar o 5G até ao final de 2020.

Analisemos algumas das áreas em que as redes 5G terão um grande impacto na logística conectada ao longo dos próximos anos.

Internet of Things (IoT) & Telemática

Estima-se que a IoT abra uma oportunidade de 1,9 biliões de dólares em logística, que deverá aumentar à medida que as redes 5G se tornam mais utilizadas. A título de exemplo, para cada metro de cobertura, o 5G é capaz de suportar mais 1.000 dispositivos do que o 4G, e a velocidades de até 10 gigabits por segundo (10Gbps), ou 100 vezes mais rápido.

Entretanto, os camiões de transporte de mercadorias poderão também beneficiar da implementação de aplicações telemáticas 5G para criar comunicações veículo-veículo (V2V) e veículo-a-infra-estrutura (V2I). Estas tecnologias vão permitir que os veículos comuniquem entre si e também com as infraestruturas como os semáforos ou os sistemas de gestão rodoviária.

Os dispositivos IoT 3G e 4G atuais tendem a ser mais dependentes da energia, uma vez que são constantemente ligados e desligados. No entanto, os localizadores IoT alimentados por bateria que usam o 5G serão muito mais eficientes em termos energéticos, entrando automaticamente em modo de sono quando não estão a transmitir informações. Isto permitir-lhes-á viver muito mais tempo, aumentando a sua capacidade de monitorizar as principais métricas da cadeia de abastecimento, tais como localização, temperatura, humidade, luz, choque e muito mais.

Rastreio em tempo real e visibilidade reforçada

Estima-se que anualmente se percam 2,5 mil milhões de dólares só em fugas de receitas na indústria do transporte rodoviário. Mais uma vez, a falta de visibilidade em tempo real na cadeia de abastecimento é uma das principais causas destas perdas. Os dispositivos IoT ligados às redes 5G também irão contribuir para eliminar os “buracos negros” da cadeia de abastecimento em que atualmente, as empresas de logística não conseguem rastrear veículos ou pacotes em tempo real em 100% dos casos. Estas zonas de trânsito “mortas” tornaram-se um dos maiores problemas de acompanhamento que as empresas de logística enfrentam.

Enquanto as embalagens são verificadas nos seus pontos de partida em fábricas ou armazéns, muito pouca informação em tempo real sobre a viagem existe após o registo inicial. Ao utilizar o 5G para a tecnologia de geolocalização amplificada, os dispositivos IoT ganhariam a capacidade de fornecer informação em tempo real a sistemas que poderiam, pela primeira vez, seguir a maioria dos itens da fábrica até ao cliente. Com estes dados em mãos, as empresas de logística poderão fornecer atualizações de estado minuto, compreender onde podem surgir potenciais atrasos, otimizar as suas rotas e prever o momento exato em que o pacote ou veículo chegará ao seu destino.

Veículos autónomos, operados remotamente

Uma das funcionalidades do 5G mais estimulantes é a sua latência extremamente baixa: os dados podem ser transmitidos com um tempo de atraso de apenas um milissegundo – 50 vezes mais rápido que 4G. Esta funcionalidade será um fator chave para que veículos autónomos, drones e robôs de entrega na via pública ou em armazéns sejam uma realidade. Naturalmente, quanto mais rápido um veículo autónomo tomar uma decisão inteligente, mais seguras serão estas operações remotas.

O timing para a conectividade 5G não poderia vir em melhor altura para os veículos autónomos. Neste momento, a maioria das empresas de automóveis já estão iniciaram um processo de desenvolvimento testes de diferentes tipos de veículos autónomos para fins variados. Comercialmente, empresas de automóveis como a Ford, Chrysler, Toyota, BMW e quase todos os grandes fabricantes já anunciaram equipas dedicadas que estão a trabalhar no desenvolvimento de sistemas de condução autónoma para o público.

Entretanto, no setor da logística, as empresas estão a trabalhar para criar veículos autónomos fiáveis e seguros que possam ajudar em operações de armazém e transporte. A startup inteligente de camiões Einride criou um veículo movido a 5G chamado “T-pod”, que é completamente autónomo, mas que inclui a capacidade de ser controlado remotamente por um operador humano. Equipado com câmaras, radar e scanners 3D, o T-pod tem uma consciência de 360 graus sobre o seu meio envolvente – e graças ao 5G, pode reagir ao seu meio envolvente dentro de milissegundos. Muitas empresas de camionagem também estão a explorar camiões sem condutor para viagens de longo curso com autonomia até 10 horas, o que irá aliviar a pressão na próxima escassez de motoristas de camiões.

Realidade Aumentada e Realidade Virtual para Manutenção e Reparação

Uma das áreas mais dispendiosas na logística é a manutenção e reparação de veículos e máquinas. Se as máquinas não estiverem operacionais por um longo período de tempo, processos inteiros podem parar ou significar uma diminuição da eficiência dos mesmos. Felizmente, novas tecnologias como a realidade aumentada (RA) e a realidade virtual (RV) já estão a ser exploradas pelo seu grande potencial para transformar a forma como as empresas de logística fazem manutenção e reparações. Agora, combinadas com o 5G, as perspetivas para estas tecnologias são ainda melhores.

Nos armazéns, a redução do tempo de atraso criado pelo 5G permitirá atualizações em tempo real sobre os movimentos de carga, melhorando a experiência e fiabilidade das aplicações de RA que são utilizadas nas operações diárias. De acordo com um especialista em 5G na Verizon, o 5G poderia permitir uma cobertura singular para um grande armazém, em vez de usar várias opções sem fios 4G de curto alcance para cobrir toda a área. A RA também pode ser integrada em veículos para proporcionar viagens mais seguras e melhor reconhecimento de ponto final.

Enquanto isso, além dos armazéns, as aplicações RV poderiam permitir que a mecânica da frota oferecesse assistência na estrada a partir de um local diferente, diminuindo tempos de inatividade inesperados e aumentando a eficiência global. Uma combinação de realidade aumentada com a realidade virtual também tem o potencial de criar portos inteligentes conectanto equipas de engenharia portuária através de banda larga móvel, oferecendo acesso móvel a planos de construção e instalações apenas usando óculos RA/RV ou tablets no local.

Um novo quadro para a logística conectada

A indústria logística já está inclinada para novas tecnologias e operações comerciais baseadas em dados. Com a implementação de redes 5G em logística, pode surgir um quadro inteiramente novo. À medida que as velocidades de dados viajam mais rápido e os níveis de latência atingem os seus pontos mais baixos, tecnologias como dispositivos IoT, telemática, RA e RV podem atingir todo o seu potencial para ajudar a logística conectada e a cadeia de abastecimentoa tornar-se totalmente visível em tempo real.

Para acompanhar, as empresas de logística devem começar a considerar onde estas tecnologias podem ser implementadas nos seus processos internos. Para isso, podem colocar a si mesmas as seguintes questões: Se existirem lacunas ou zonas “mortas” na cadeia de abastecimento, onde podem ser utilizados dispositivos IoT para colmatar essas lacunas e aumentar a visibilidade? Na gestão de armazém, onde é que os robôs podem ajudar os colaboradores? No caso de veículos inoperacionais, como é que essa RA ou RV podem ajudar a reduzir esse tempo?

Em breve, o 5G estará em todo o lado e as empresas que o implementarem agora certamente contribuirão para a construção de um futuro brilhante para a logística conectada.

Referências Bibliográficas:
Artigo adaptado de How 5G Networks Will Create a New Era of Connected Logistics, julho de 2020, Acedido em 23 de setembro de 2020, em https://transmetrics.eu/blog/5g-connected-logistics/

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *