Logística automóvel: principais desafios e tendências

logística automóvel principais desafios tendências

Para a indústria automóvel, é crucial encontrar estratégias para a cadeia de abastecimento que permitam “explorar novas oportunidades de mercado, reduzir custos e manter a vantagem competitiva”. Esta afirmação consta do estudo Automotive Logistics Market – Growth, Trends, Covid-19 Impact, and Forecasts (2021-2026) da Mordor Intelligence, resumindo os desafios que a logística automóvel enfrenta num contexto em que a pandemia de Covid-19 continua a ter um forte peso e em que as tendências ligadas ao consumo e à tecnologia estão também a introduzir mudanças no setor.

Só por si, o fabrico de um automóvel é um processo complexo, sendo um desafio para os fabricantes, mas também para os responsáveis logísticos. Esta complexidade cria uma grande exigência em termos de rapidez e precisão de todas as operações, incluindo a logística. Daí a importância de ter um serviço dedicado, de haver uma estreita colaboração entre o operador logístico e o fabricante, na qual haja troca de toda a informação, de dar primazia ao just in time ou de mapear os riscos e definir os planos de contingência salvaguardando os problemas que podem acontecer.

Além disso, no contexto em que vivemos, há que juntar os desafios dos acontecimentos recentes e a evolução tecnológica. Mas que desafios da logística automóvel são esses em concreto e que impacto estão a ter?

O contexto atual: a pandemia e o Brexit

O setor automóvel sofreu um forte impacto da pandemia de Covid-19, levando o mercado da logística automóvel a registar uma contração superior a 20%, de acordo com a estimativa do relatório Automotive Logistics 2021 da Transport Intelligence. E, salienta o estudo, “com todos os setores do mercado a serem profundamente afetados”.

Fonte: Transport Intelligence (Ti) | Automotive Logistics 2021

As previsões apontam para que a tendência se mantenha: a pandemia deve continuar a criar disrupções nas vendas e na cadeia de abastecimento. Tanto mais que a queda da procura, que já se registava nos Estados Unidos da América, no Reino Unido e na Alemanha, foi intensificada e as fabricantes de equipamento e peças reduziram a sua capacidade de produção.

Ao mesmo tempo, há que ter em conta o Brexit. Os novos regulamentos terão, certamente, impacto nos processos de produção automóvel, levando possivelmente a uma duplicação dos custos, destaca ainda o relatório Automotive Logistics 2021.

No entanto, olhando a mais longo prazo e tendo em conta o contexto pós-pandemia,o estudo Automotive Logistics Market estima que a taxa de crescimento do mercado da logística automóvel seja superior a 6% entre 2021 e 2026. Determinante, destaca, será a presença cada vez mais forte dos veículos elétricos.

Fonte: Mordor Intelligence | Automotive Logistics Market – growth, trends, covid-19 impact, and forecasts (2021 – 2026)

As novas tendências com impacto na logística automóvel

Os veículos elétricos são apenas uma das facetas da mudança que a indústria automóvel atravessa. Uma transformação histórica, segundo refere a Deloitte no estudo Automotive Value Chain 2025 and beyond, realçando que “quase todos os dias lemos notícias sobre uma mudança atual ou futura no mercado, novos modelos de negócio ou uma nova cadeia de valor”. Sendo assim, que tendências se estão a desenhar e com que impacto na logística automóvel?

Veículos elétricos

Uma aposta cada vez mais presente no nosso dia a dia, os veículos elétricos vão impulsionar os fornecedores de serviços logísticos, levando-os a desenvolver competências de gestão de informação que complementem o setor. Esta é uma das conclusões do estudo da Transport Intelligence, divulgado no passado mês de fevereiro, que realça esta como uma tendência que se vai fazer sentir globalmente.

E-commerce

Por outro lado, refere o estudo da Mordor Intelligence, os fabricantes de automóveis estão a criar disrupções na tradicional cadeia de abastecimento. Por exemplo, com as vendas online e os serviços de entrega ao domicílio. Foi o caso da Renault, que, no início de 2019, anunciou planos para assegurar um serviço de entregas ao domicílio a partir do seu showroom online.

Economia circular

A transição para uma economia circular está em curso e vai beneficiar, sobretudo, as empresas de logística que têm um foco doméstico, prevê o relatório Automotive Logistics 2021. Na mesma lógica, vão destacar-se o transporte rodoviário e as empresas que oferecem serviços de valor acrescentado.

Digitalização e conectividade

Estando intimamente ligadas, as operações de fabrico e logística influenciaram-se mutuamente ao longo do tempo. Uma ligação que culminou, nos dias de hoje, na digitalização e conectividade, marcas da Indústria 4.0 e da Logística 4.0, nas quais estão também bem presentes conceitos como a robotização ou a inteligência artificial. E este é um desafio que já está muito presente nos serviços de logística automóvel atuais.

Um dos exemplos é a integração de sensores nos processos de produção, recolhendo dados que permitem ter um retrato mais preciso das operações. Analisando esses dados e recorrendo à inteligência artificial, é possível perceber onde podem ser introduzidos pontos de melhoria e antecipar eventos futuros.

Mas a conectividade pode ir mais longe, permitindo ligar a fábrica aos operadores externos, como os fornecedores, os transportes, etc. Assim, o desafio para o futuro é criar fluxos de produção ainda mais inteligentes, que se adaptem rapidamente ao que acontece no resto da cadeia de abastecimento.

Estas são algumas das tendências dominantes que o setor da logística automóvel está a enfrentar, deixando antever que “parece inevitável haver reajustamentos fundamentais em toda a cadeia de valor automóvel”, refere a Deloitte no seu estudo. Alerta, ainda, que muito está por definir, pois “não é claro onde vai terminar a jornada, uma vez que muitos desenvolvimentos são ainda especulativos”.

Profundos conhecedores do setor e dos desafios que enfrenta, a Rangel oferece soluções de logística integrada costumizada, assegurando os mais elevados padrões de qualidade.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:
Mordor Intelligence, Automotive Logistics Market – Growth, Trends, Covid-19 Impact, and Forecasts (2021-2026). Acedido a 5 de março de 2021.
https://www.mordorintelligence.com/industry-reports/automotive-logistics-market
Flexis, The Impact of Logistics 4.0 on the Automotive Industry. Acedido a 5 de março de 2021.
https://blog.flexis.com/the-impact-of-logistics-4.0-on-the-automotive-industry
Transport Intelligence, Automotive Logistics 2021, Report Brochure. Acedido a 5 de março de 2021.
https://www.ti-insight.com/wp-content/uploads/2021/02/Automotive-2021-Brochure.pdf
Deloitte, The Future of the Automotive Value Chain 2025 and beyond. Acedido a 5 de março de 2021.
https://www2.deloitte.com/content/dam/Deloitte/us/Documents/consumer-business/us-auto-the-future-of-the-automotive-value-chain.pdf
Automotive Logistics, Renault plans home delivery for online sales in Russia. Acedido a 5 de março de 2021.
https://www.automotivelogistics.media/renault-plans-home-delivery-for-online-sales-in-russia/22336.article

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *