Exportar para a Tanzânia: quais as oportunidades?

Exportar para a Tanzânia: quais as oportunidades? 1

As estatísticas do comércio internacional, divulgadas pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), mostram que, em 2021, as exportações portuguesas para a Tanzânia subiram 82% comparativamente ao ano anterior. Se está a ponderar exportar para a Tanzânia, conheça com um pouco mais de detalhe as oportunidades que este mercado apresenta.

Tanzânia: uma economia assente no turismo, na agricultura e na indústria mineira

A República Unida da Tanzânia, ou simplesmente Tanzânia, faz fronteira com oito países – entre os quais, Moçambique – e é conhecida sobretudo pela sua riqueza natural. Por exemplo, é ali que fica Kilimanjaro, a montanha mais alta de África. Este país é também um dos principais destinos para a realização de safaris, e as suas praias banhadas pelo oceano Índico atraem todos os0 anos milhares de turistas. Desse modo, não surpreende que o turismo seja uma das principais fontes de receitas deste país da África Oriental.

A sua economia está suportada pelo turismo, mas também pela agricultura. Esta representa mais de um quarto do PIB nacional e emprega 65% da população ativa. Mandioca, milho, batata-doce, cana-de-açúcar e feijão estão entre os principais produtos agrícolas produzidos. Além disso, a atividade mineira tem um peso muito relevante – em particular no que diz respeito à produção e exportação de ouro. Na verdade, a Tanzânia possui reservas significativas de ouro, diamantes, ferro, carvão, urânio, pedras preciosas e gás natural.

Um país com fragilidades, mas em expansão

Embora tenha muita riqueza natural, os níveis de pobreza ainda são elevados na Tanzânia. A taxa nacional de pobreza situou-se, em 2021, nos 27%, e as desigualdades sociais são uma realidade, estando a sua economia dependente de ajuda internacional. Ainda assim, o país tem visto um desenvolvimento assinalável nas últimas décadas. Entre 2009 e 2017, esta economia registou um crescimento médio ao ano entre 6% e 7%.

E apesar de a Covid-19 ter exercido um impacto negativo (sobretudo pela paralisação do turismo), a sua economia mostrou-se mais resiliente comparativamente à generalidade dos países. Em 2020 – ano crítico da pandemia –, o PIB da Tanzânia cresceu 2%. As perspetivas para os próximos anos são também otimistas. Nesse sentido, o Fundo Monetário Internacional estima um crescimento do PIB de 5,1% para 2022 e uma inflação de 3,4%. Já as perspetivas do Banco Mundial indicam um crescimento de 5,4% para 2022 e um avanço do PIB de 5,9% para 2023.

Fatores positivos para o desenvolvimento da Tanzânia

São vários os fatores que tornam este país da África Oriental atrativo para muitas empresas que estão a ponderar exportar para a Tanzânia. Além de ser um país com uma localização geográfica estratégica, é um mercado de grandes dimensões e com um total de 61,5 milhões de habitantes. À medida que o desenvolvimento económico se reflete na melhoria das condições de vida, na diminuição dos níveis de pobreza e no combate às desigualdades económicas e sociais, novas oportunidades de negócio vão surgir para satisfazer as necessidades de consumo de uma classe média em ascensão.

Na verdade, em julho de 2020, o Banco Mundial fez um upgrade na avaliação da Tanzânia. Colocou-a, assim, na categoria dos países de rendimento médio-baixo, quando até então estava classificada como país de baixo rendimento. Para esta melhoria terão certamente contribuído as políticas implementadas pelo Governo para diminuir as desigualdades de género e aumentar as oportunidades económicas para as mulheres.

Outro fator sublinhado pelo Banco Mundial é o facto de o país estar apostado em fazer reformas políticas para melhorar o ambiente de negócios, apoiar o crescimento do setor privado e aumentar a cooperação regional. Recorde-se que a Tanzânia faz parte da Comunidade da África Oriental e da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC, na sigla em inglês).

Exportações para a Tanzânia à lupa

No que diz respeito aos volumes de importação e exportação de bens entre Portugal e a Tanzânia, os números ainda são tímidos. De acordo com a última análise do Gabinete de Estratégia e Estudos (GEE) do Ministério da Economia, este país da África Oriental representava, em 2020, um peso de 0,02% nas importações portuguesas e detinha uma quota de 0,01% nas exportações nacionais.

Em termos globais, significa que a Tanzânia ocupava, nesse ano, a 143.ª posição na lista dos clientes das exportações portuguesas e o 93.º lugar no ranking das importações.

Analisando à lupa as exportações de 2020, entre as categorias de produtos nacionais que costumamos exportar para a Tanzânia destacam-se os materiais de transporte e acessórios, o fornecimento de bens industriais, os produtos alimentares e bebidas e também as máquinas.

Historicamente, o saldo da balança comercial entre os dois países é negativo para Portugal. Ou seja, importamos mais bens da Tanzânia do que aqueles que exportamos. No entanto, o gap tem vindo a diminuir. Os dados mais recentes divulgados pelo INE, relativos ao ano de 2021, dão conta que Portugal importou um volume de bens deste país africano na ordem dos 8,6 milhões de euros. Já as exportações totalizaram 5 milhões de euros (mais 82% comparativamente ao período homólogo).

Exportar para a Tanzânia: oportunidades e riscos

As empresas interessadas em exportar para a Tanzânia podem aproveitar o crescimento económico que este mercado apresenta. As oportunidades sobressaem em alguns setores, nomeadamente, no que diz respeito às áreas de infraestruturas, agribusiness e tecnologias de informação e comunicação.

Recorde-se que o Governo da Tanzânia está focado no desenvolvimento das indústrias locais e do setor agrícola e em investir em grandes infraestruturas e na energia. São factos que levam aInternational Trade Administration, dos Estados Unidos da América, a sugerir que as empresas prestem atenção às oportunidades que possam surgir nestes setores.

“O crescimento foi impulsionado principalmente pelos transportes, projetos de infraestrutura, comunicações, agricultura, indústria, eletricidade (especialmente fontes de energia renováveis), comércio, viagens, turismo, imóveis e serviços empresariais. Os exportadores encontrarão muitas oportunidades nesses setores, produtos e serviços que ajudarão a indústria da Tanzânia a subir na cadeia de valor na agricultura, no setor mineiro e noutras áreas-chave”, explica aquela entidade.

Mas o caminho não está isento de riscos, e fazer negócios neste país nem sempre é fácil. Na verdade, segundo o ranking “Doing Business” de 2020, a Tanzânia ocupava a 141.ª posição no conjunto de 190 países. Entre as maiores barreiras a ultrapassar estão as políticas fiscais, as questões relacionadas com a abertura e o encerramento de negócios e os desafios do comércio internacional.

Para facilitar a gestão de alguns destes constrangimentos, as empresas estrangeiras que queiram entrar neste mercado – seja através do investimento direto ou de exportações – deverão conhecer bem as condições e a cultura deste mercado e estabelecer parcerias com operadores com experiência comprovada. Se está interessado em exportar para a Tanzânia ou explorar as oportunidades de negócio num outro mercado do continente africano, contacte-nos. A Rangel conta com escritórios em África do Sul, Moçambique, Angola, Cabo Verde e Zâmbia.

FONTES:
Santander Trade, “Tanzânia”. Acedido a 13 de abril de 2022.
https://santandertrade.com/pt/portal/analise-os-mercados/tanzania/economia
Instituto Nacional de Estatística, “Estatísticas do comércio internacional – 2021”. Acedido a 13 de abril de 2022.
https://www.ine.pt/xportal/xmain?xpid=INE&xpgid=ine_destaques&DESTAQUESdest_boui=472735340&DESTAQUESmodo=2
Fundo Monetário Internacional, “Tanzania at a glance”. Acedido a 13 de abril de 2022.
https://www.imf.org/en/Countries/TZA
International Trade Administration, “Tanzania – Country Comercial Guide”. Acedido a 13 de abril de 2022.
https://www.trade.gov/country-commercial-guides/tanzania-market-entry-strategy
Banco Mundial, “Tanzania – Overview”. Acedido a 13 de abril de 2022.
https://www.worldbank.org/en/country/tanzania/overview#1
Gabinete de Estratégia e Estudos, “Comércio internacional Portugal – Tanzânia”. Acedido a 13 de abril de 2022.
https://www.gee.gov.pt/pt/docs/doc-o-gee-2/estatisticas-de-comercio-

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.