Exportar madeira do Brasil: quatro aspetos a ponderar

Exportar madeira do Brasil: quatro aspetos a ponderar

Seja para a construção de casas ou de infraestruturas, como fonte de energia ou para a criação de peças de mobiliário, a madeira continua a ser uma das matérias-primas mais utilizadas e procuradas. De acordo com as estatísticas de 2020, o Brasil está no top ten do ranking mundial dos países produtores de madeira. Contudo, exportar madeira do Brasil (em bruto) requer alguns cuidados. Descubra como fazê-lo.

Exportar madeira do Brasil (em bruto): o que dizem as estatísticas?

Antes de tudo, é importante lembrar que existem diferentes tipos de madeiras transacionados nos mercados internacionais. Além disso, estas podem ser comercializadas sob múltiplas formas. Tudo depende da natureza e da finalidade da madeira, bem como dos processos de transformação implementados. Todavia, quando se fala de exportar madeira do Brasil em bruto, referimo-nos a:

  • Madeira no seu estado natural;
  • Madeira não beneficiada no Brasil – ou seja, que não passou por processos, nem foi trabalhada antes de ser vendida.

Pois bem, exportar madeira do Brasil em bruto para os mercados externos tem registado, nos últimos anos, um maior dinamismo. Isto apesar de esta categoria de produtos ainda ter um peso residual no total das exportações brasileiras (inferior a 1%).

Segundo os dados do Comex Stat – o portal de estatística de comércio externo do Brasil – em 2021, o volume de exportações de madeira em bruto totalizou 221,78 milhões de dólares, o que representou um crescimento de 91,9% comparativamente com o ano anterior. Assim, no total, as exportações de madeira em bruto atingiram os 2,6 milhões de toneladas, durante esse ano.

China, Portugal, Índia e Vietname foram os principais mercados de destino da madeira brasileira em bruto, durante o ano passado. Além disso, as principais empresas exportadoras estão situadas em Rio Grande do Sul, Mato Grosso, Paraná, Santa Catarina e Pará.

Para conhecer os dados relativos às exportações de outras categorias de produtos de madeira, consulte este portal.

Aspetos a ponderar para exportar madeira do Brasil

Exportar madeira do Brasil implica a coordenação de diversas dimensões. Além dos aspetos comerciais – relacionados com a captação e a retenção de clientes –, é ainda necessário o domínio e o conhecimento dos processos associados ao armazenamento, ao transporte e à logística destes produtos. Conheça, então, alguns dos principais aspetos a ter em conta antes de exportar madeira do Brasil.

Estar informado sobre as normas internas

O Brasil tem regras específicas e apertadas para exportar madeira, especialmente se esta estiver em estado bruto.

De acordo com as normas ambientais, as empresas apenas podem exportar madeira do Brasil no seu estado natural logo após o corte se estas forem classificadas como madeiras exóticas (caso do eucalipto e do pinheiro). Assim, nestas situações, as empresas necessitam apenas de uma autorização estadual.

No entanto, o mesmo não acontece quando estão em causa madeiras provenientes de árvores nativas. Nestes casos, a legislação ambiental dita assim que a madeira só pode ser vendida para o mercado externo depois de ter sido beneficiada no Brasil.

Conhecer as regras do mercado de destino

Portanto, não basta considerar os procedimentos internos e a legislação brasileira para garantir o sucesso das operações. De igual forma, é crucial a empresa exportadora familiarizar-se com os requisitos normativos do país de destino – uma vez que estes podem variar consoante o território. Desse modo, se está a equacionar exportar madeira do Brasil, informe-se antecipadamente sobre as certificações, os aspetos alfandegários e os requisitos de segurança necessários para que o seu cliente, no país de destino, a possa importar.

Reunir a documentação necessária

Além das recomendações já assinaladas, é necessária uma atenção especial para reunir toda a documentação necessária para exportar madeira do Brasil. Embora essa documentação possa variar consoante o país de destino, as formalidades habitualmente mais solicitadas são as seguintes:

  • Fatura comercial;
  • Certificado de fumigação;
  • Certificado de origem;
  • Certificado fitossanitário de origem;
  • Registo de exportação do Siscomex;
  • Packing list;
  • Documento Radar;
  • Registo da operação de crédito;
  • Conhecimento de embarque.

Sublinhe-se ainda que as empresas terão de obter uma autorização para exportar madeira do Brasil junto do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (IBAMA).

Outra formalidade frequentemente exigida no destino é o selo FSC (Forest Stewardship Council). Com efeito, trata-se de um sistema de certificação internacional, atestando que a madeira resulta de uma operação florestal realizada com processos corretos do ponto de vista ambiental, socialmente justos e economicamente viáveis.

Planear a logística de embarque da madeira

Uma condição crítica para o sucesso das operações de exportação passa por fazer um bom planeamento dos procedimentos logísticos associados ao embarque da madeira para os mercados internacionais. Não se esqueça: uma simples falha na emissão de um documento pode comprometer os prazos de entrega.

Por isso, se não tem o know-how suficiente para assegurar um bom planeamento logístico, poderá recorrer aos serviços de uma empresa especializada e credenciada.

Desse modo, essa empresa ficará encarregada de supervisionar o embarque, o carregamento e a expedição da madeira. O objetivo é, sem dúvida, assegurar que os produtos são corretamente carregados e descarregados, no local previsto e na data indicada, sem sobressaltos.

Por conseguinte, se está a ponderar exportar madeira do Brasil e procura um parceiro logístico de confiança e com experiência nos mercados internacionais, contacte-nos. O grupo Rangel está presente no Brasil – conta com uma delegação em São Paulo – e apresenta um conjunto de soluções logísticas para assegurar o acompanhamento e a monitorização de todo o processo de exportação até ao destino.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
ComexStat, “Estatísticas sobre a exportação de madeira em bruto em 2021”. Acedido a 12 de outubro de 2022.
http://comexstat.mdic.gov.br/pt/comex-vis
FazComex, “Exportações de madeira em bruto: entenda”. Acedido a 12 de outubro de 2022.
https://www.fazcomex.com.br/
SGS Group, “Principais regras da exportação da madeira”. Acedido a 12 de outubro de 2022.
https://www.sgsgroup.com.br/
Mill, “Exportação de madeira: como começar”. Acedido a 12 de outubro de 2022.
https://www.mill.com.br/
DC Logistics Brasil, “Exportação de madeira: confira um passo a passo”. Acedido a 12 de outubro de 2022.
https://dclogisticsbrasil.com/

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.