O que é o cross docking e quais os seus benefícios?

O que é o cross docking e quais são os seus benefícios?

Se fosse possível resumir numa só palavra a evolução que o setor logístico registou ao longo dos últimos anos, esse termo seria o verbo “otimizar”. Na verdade, as empresas que operam na supply chain têm desenvolvido enormes esforços na otimização dos seus processos e recursos, de modo a entregarem os produtos com mais rapidez e menos custos. Assim, de forma a agilizar as operações logísticas, têm surgido métodos de trabalho alternativos, como o cross docking. Saiba em que consiste esta estratégia de distribuição e quais as suas principais vantagens.

Cross docking: como funciona?

Funções como a receção de mercadorias, o armazenamento de produtos, o processo de picking, a preparação dos pedidos e a expedição dos produtos são exemplos de tarefas que fazem parte do tradicional modelo de funcionamento dos armazéns. Mas e se pudermos eliminar algumas destas etapas e tornar as operações mais rápidas? É precisamente este o ponto de atuação da estratégia cross docking e o seu significado.

Este modelo de distribuição assenta no princípio de que após a receção de um produto num centro de distribuição ou armazém, a mercadoria permanece durante pouco tempo nas instalações (idealmente menos de 24 horas), sendo rapidamente expedida. Com isto, saltam-se etapas e eliminam-se – ou reduzem-se substancialmente – as necessidades de armazenamento de produtos. Ao mesmo tempo, dispensa-se o processo de picking, poupando tempo e custos.

Desta forma, com a incorporação do processo de cross docking, o espaço disponível para o armazenamento de produtos é menor. E o centro de distribuição ou o armazém funciona mais como uma plataforma de movimentação de produtos, encaminhando-os rapidamente para a fase de expedição.

Devido às suas características, o cross docking tem sido um modelo adotado por muitas empresas que operam na área do eCommerce, mas é também uma estratégia adotada por empresas de diferentes setores: desde o retalho ao setor de componentes de automóveis, passando pela indústria farmacêutica e o setor das bebidas.

Diferentes formas de implementar o cross docking

Existem diversos modos de implementar um sistema de cross docking num centro de distribuição. Entre as modalidades mais comuns encontramos as seguintes:

Cross docking contínuo

Trata-se do modelo mais simples e direto de cross docking. Neste caso, os produtos já estão preparados em unidades de carga e prontos para serem transferidos diretamente para a área de expedição. Como a mercadoria é transferida de um veículo para outro, exige pouco manuseamento de carga por parte dos trabalhadores do armazém ou centro de distribuição.

Cross docking consolidado e desconsolidado

Nesta situação, as mercadorias chegam ao centro, mas em unidades de carga que necessitam de ser adaptadas e organizadas para estarem conforme os pedidos dos clientes. Por exemplo, haverá mercadorias entregues em paletes que têm de ser divididas em unidades mais pequenas, as quais são expedidas. Ou pode acontecer o processo contrário, sendo necessário combinar diversos produtos numa carga maior.

Cross docking híbrido

Este é um modelo mais complexo, em que os pedidos são preparados com a carga que acabou de ser entregue no armazém e em conjunto com outras mercadorias que se encontram em stock.

Quatro vantagens do modelo cross docking

O cross docking – considerado um método logístico just-in-time – permite uma maior velocidade nas operações e uma diminuição dos custos relacionados com os processos de armazenamento. Mas os benefícios desta estratégia vão mais longe. Eis as principais vantagens:

 Entregas mais rápidas

Com o cross docking, os produtos chegam ao armazém e são rapidamente encaminhados para a zona de expedição. Assim é possível encurtar os prazos de entrega e ir ao encontro das expetativas dos clientes, tornando-o um fator importante para a satisfação dos clientes.

Menores necessidades de espaço em armazém

Com esta estratégia, as empresas não precisam de tanto espaço de armazenamento como no modelo tradicional. Desta forma, a incorporação de uma estratégia de cross docking dispensa a necessidade da existência de uma infraestrutura física de maiores dimensões e mais complexa.

Menores custos logísticos

A redução de custos logísticos do processo logístico no modelo de cross docking faz-se por diversas vias. Por um lado, a empresa não precisa de investir em armazéns de grandes dimensões. Por outro, o número de colaboradores necessários para executar as operações num modelo cross docking é mais reduzido, visto que os processos são simplificados e há uma menor necessidade de manuseamento de mercadorias. Ao mesmo tempo, reduzem-se também os custos com os stocks, pois as mercadorias podem ser entregues apenas quando pedidas pelo cliente final.

Menores riscos de danos ou extravios de mercadorias

Como neste modelo os processos são mais diretos e envolvem poucas etapas, a carga é menos manuseada. Consequentemente, os riscos de ocorrências de perdas ou de danos produtos são menores.

Apesar das vantagens associadas ao cross docking, para que esta solução funcione devem estar reunidos alguns requisitos, como a visibilidade total das operações, para garantir um controlo rigoroso das entradas e saídas de mercadorias, e uma grande coordenação entre os diversos agentes intervenientes neste processo – desde os fornecedores, passando pelas equipas dos armazéns e transportadoras, até aos clientes. Tudo tem de estar perfeitamente sincronizado, e as operações devem estar integradas.

Caso contrário, a implementação deste método dificilmente será bem-sucedida, o que poderá representar custos adicionais para as empresas. Por exemplo, se as operações não forem bem coordenadas e as mercadorias ficarem demasiado tempo no centro de distribuição, a empresa poderá ter de pagar taxas de armazenamento.

Se procura soluções logísticas de armazenamento que permitam ao seu negócio otimizar as operações e ser mais ágil, contacte-nos. O grupo Rangel conta com uma equipa especializada que poderá ajudá-lo a esclarecer as dúvidas que tenha sobre o modelo cross docking e a encontrar as melhores soluções para a sua empresa crescer.

FONTES BIBLIOGRÁFICAS:
Magenest, “What is cross docking? Advantages, disadvantages and example”. Acedido a 4 de maio de 2022.
https://magenest.com/en/cross-docking/
Redwood, “What is cross-docking and how is it beneficial?”. Acedido a 4 de maio de 2022.
https://www.redwoodlogistics.com/what-is-cross-docking-and-how-is-it-beneficial/
MUB Cargo, “O que é o cross docking?”. Acedido a 4 de março de 2022.
https://www.mubcargo.com/pt/blog/1/16/o-que-e-o-cross-docking/
Delage,”Cross docking: estratégia logística pode ser a opção certa para gerar agilidade na entrega e reduzir custos”. Acedido a 4 de março de 2022.
https://delage.com.br/blog/cross-docking-estrategia-logistica-pode-ser-a-opcao-certa-para-gerar-agilidade-na-entrega-e-reduzir-custos/

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.