Como importar da China em segurança: 10 aspetos a considerar

Como importar da China em segurança: 10 aspetos a considerar

Gigante asiático e fábrica do mundo. Estas são duas designações pelas quais a China é conhecida. Trata-se da segunda maior economia mundial (analisando o PIB em termos nominais), ocupa a primeira posição no ranking dos países mais populosos, e é o maior exportador de bens para o mundo inteiro. Se a sua empresa pondera estabelecer parcerias com fornecedores deste país, saiba como importar da China e conheça alguns aspetos que devem ser acautelados para garantir o sucesso das transações comerciais.

Trocas comerciais entre Portugal e China à lupa

A China é a maior fornecedora de bens do globo. Só em 2021, as exportações deste gigante asiático superaram os 2,8 biliões de euros (mais 25% do que no ano anterior). Entre os produtos chineses mais exportados encontram-se as máquinas e os aparelhos, tendo os Estados Unidos da América, a União Europeia e Hong Kong como os seus principais clientes.

Portugal também tem fortes relações comerciais com a China. De acordo com os dados preliminares do Instituto Nacional de Estatística (INE), relativos a 2021, Portugal importou bens da China no valor de 3889 milhões de euros – mais 17,8% face ao ano anterior. Já as exportações portuguesas para a China cifraram-se nos 685 milhões de euros, o que faz com que a balança comercial seja desfavorável para Portugal, apresentando um défice de 3203 milhões de euros.

Analisando alguns números (relativos a 2020), é possível verificar que na lista dos produtos mais importados da China pelas empresas portuguesas constam as máquinas e aparelhos (42,9% do total), as matérias têxteis (12,5%), os produtos químicos (7,2%), os metais comuns (7,1%), e os plásticos e borracha (4,9%). Contas feitas, a China ocupa a sexta posição no ranking dos países fornecedores de Portugal. Mas quais são os principais motivos que levam  as empresas portuguesas a importar produtos da China?

Vantagens e desvantagens de importar da China

Existem diversos fatores que levam as empresas de todo o mundo a optarem por importar da China. Entre estes estão os baixos custos de produção. Em determinadas situações, é mais barato e competitivo para uma empresa importar bens deste mercado. Isto porque mesmo adicionando os custos associados ao transporte e ao processo de importação, estes encargos são menores comparativamente àqueles que a empresa teria de suportar se produzisse esses bens localmente ou comprasse a um fornecedor local.

Mas a competitividade dos produtos provenientes da China não se esgota no fator preço. O país está, cada vez mais, a afirmar-se como fornecedor de produtos de elevada qualidade, principalmente quando comparado com outros países asiáticos. Ao mesmo tempo, esta é uma economia preparada para satisfazer grandes quantidades de encomendas, sendo, por isso, um fornecedor de eleição de empresas que trabalham com elevados volumes de produtos.

Apesar das vantagens, o processo de importação da China pode ser complexo. As diferenças de língua, de cultura e do próprio modelo de funcionamento da economia podem causar algumas dificuldades de negociação. Se tem dúvidas sobre como importar da China, conheça, de seguida, alguns aspetos que devem ser ponderados durante este processo.

10 passos para importar da China em segurança

Existe um vasto leque de procedimentos e aspetos – como a escolha do fornecedor adequado e o levantamento de todos os custos associados à importação de bens da China – que deverão ser analisados para garantir o sucesso das operações de importação. Estes são alguns dos passos mais relevantes.

1. Identifique os produtos que pretende importar

Se o seu objetivo é importar da China para revender, então o primeiro passo é definir quais os produtos certos que pretende importar e que têm potencial para fazer do seu negócio um sucesso. Não se guie apenas pelo fator preço: evite adquirir produtos apenas por serem baratos. Avalie também outros aspetos como a qualidade e a diferenciação, que lhe permitam colmatar uma necessidade dos consumidores ou ir ao encontro de um nicho de mercado.

Estando definidos os produtos a importar, reúna o máximo de informação possível sobre a mercadoria que pretende importar da China (descrição pormenorizada, composição do produto e identificação dos fabricantes, etc.). De igual forma, certifique-se que a mercadoria cumpre com os requisitos exigidos pelas autoridades europeias e portuguesas para poderem entrar em Portugal.

2. Escolha o fornecedor certo

Parte do sucesso do processo de como importar da China assenta na escolha do fornecedor certo que seja um verdadeiro parceiro comercial para o seu negócio. Para encontrá-lo, pode participar em feiras, missões empresariais, eventos de networking, ou mesmo através de referências de outras empresas com experiência sólida na importação de produtos da China.

Antes de tomar qualquer decisão ou assinar um contrato de compra, procure informações sobre a empresa fornecedora. A Câmara de Comércio e Indústria Luso-Chinesa (CCILC) recomenda que as empresas portuguesas solicitem aos seus fornecedores na China os seguintes documentos:

  • licença comercial;
  • licença de exportação e importação;
  • certificado de conta bancária;
  • registo alfandegário;
  • fatura proforma.

Se tiver dúvidas sobre a autenticidade da documentação, poderá recorrer aos serviços de verificação da CCILC para fazer a avaliação dos mesmos. Também a Câmara de Comércio Portugal-China PME (CCPC-PME) presta um serviço de pesquisa de idoneidade pessoal e institucional.

3. Tome nota dos direitos aduaneiros a que está sujeito

Nas trocas comerciais internacionais, uma das dimensões que tem de ser contemplada nos planos das empresas são os direitos aduaneiros e as taxas alfandegárias. Recorde-se que as mercadorias adquiridas a fornecedores de países terceiros estão sujeitas a direitos aduaneiros e impostos determinados pela alfândega portuguesa.

Com base na classificação pautal, é possível determinar que direitos aduaneiros, IVA ou imposto especial sobre o consumo serão cobrados sobre determinado produto à chegada a território nacional. Por isso, consulte a classificação pautal das mercadorias (código numérico com 10 dígitos).

De modo a estipular o custo total da importação, deverá ainda clarificar qual o Incoterm acordado com o fornecedor para fazer chegar as mercadorias a Portugal.

4. Certifique-se de que não existem barreiras à importação dos produtos que pretende adquirir

Certos produtos, pelas suas características, podem ter restrições, não podendo ser importados, ou ter suspensões ou contingentes pautais. Por essa razão, é muito importante assegurar de antemão que a mercadoria a importar não tem barreiras alfandegárias e que não será retida à chegada.

Na lista de bens interditos pela alfândega portuguesa encontram-se, por exemplo: artigos falsificados (de contrafação), relógios, malas e material desportivo; detetores de radares; medicamentos; tabaco e cigarros eletrónicos (ou partes deles); armas; estupefacientes e psicotrópicos; explosivos; materiais inflamáveis; materiais radioativos e outras matérias perigosas.

5. Controle a qualidade

Este é um dos aspetos mais sensíveis do processo de importação da China, que pode dar origem a problemas: como assegurar que os produtos adquiridos e importados cumprem com os critérios expectáveis de qualidade? Cabe ao comprador verificar as condições do produto contratualizado. Para isso deverá:

  • escolher um bom fornecedor;
  • definir o padrão de qualidade, deixando claro ao parceiro chinês as especificações desejadas para os produtos;
  • solicitar amostras;
  • contratar serviços de inspeção na China, que se desloquem às fábricas para verificar se a produção está conforme o acordo contratualizado.

6. Opte por um método de pagamento seguro

Segundo as recomendações da CCILC, quando estão em causa negócios avultados, o pagamento por carta de crédito é o método mais seguro, conferindo maior proteção ao importador. “Trata-se de uma carta de um banco em nome do importador assumindo o compromisso de que o pagamento será feito ao exportador, após cumprimento dos termos e condições estabelecidos na carta de crédito, mediante apresentação de todos os documentos exigidos”, explica a CCILC.  A grande vantagem é a seguinte: como a carta de crédito não é um depósito, o importador tem a garantia de que o dinheiro não será transferido em caso de incumprimento do acordo.

7. Escolha a modalidade de transporte mais adequada

O transporte é outra variável a ser considerada no planeamento da importação de bens da China. O principal método escolhido por quem procura importar da China é o transporte marítimo, que pode ser realizado em contentor completo (Full Container Load – FCL) ou em contentores de grupagem (Less Container Load – LCL). É certo que os tempos de trânsito nesta modalidade são mais elevados, mas é uma solução mais económica.

As empresas que pretendem importar da China podem ainda optar pelo transporte aéreo, bastante mais célere, mas também é mais oneroso. Esta é a modalidade mais indicada para o transporte urgente de mercadorias, ou quando estão em causa bens perecíveis. Existe ainda uma terceira opção: o transporte ferroviário da China para a Europa. No entanto, esta solução exige a articulação com outros meios de transporte a partir do local onde termina a ligação ferroviária regular entre a China e a Europa.

8. Esteja atento a possíveis fraudes

Este é um outro passo relevante sobre como importar da China. Empresas pouco experientes, seduzidas por uma oportunidade única de adquirir a um preço muito baixo, podem ser alvo de burlas. A CCILC refere no guia “Como evitar burlas no processo negocial”  alguns episódios de importadores que receberam contentores com pedras ou outros objetos que simulavam o peso da mercadoria. Desconfie de negócios únicos a preços demasiadamente baixos e faça as devidas diligências.

9. Proceda ao levantamento da mercadoria

Uma vez chegada a mercadoria a Portugal, é necessário proceder à recolha dos bens na alfândega. Se o transitário que selecionou também prestar serviços de desalfandegamento, não necessita de um despachante aduaneiro, caso contrário deverá procurar um.

10. Conte com um parceiro logístico de confiança

Porque os processos logísticos associados à importação da China podem ser complexos e demorados, é importante contar com o apoio de operadores logísticos com experiência e know-how comprovado no mercado. A seleção de parceiros logísticos de confiança poderá ajudar a sua empresa a libertar-se de alguns procedimentos burocráticos e a fazer chegar a sua mercadoria ao seu destino, em segurança e com otimização dos custos.

Se procura as melhores modalidades de transporte para importar da China, contacte-nos. O grupo Rangel tem um conjunto alargado de soluções de transporte internacional de mercadorias, adaptadas às necessidades de cada negócio.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:
AICEP – Portugal Exporta, “Mercado China”. Acedido a 11 de maio de 2022.
https://myaicep.portugalexporta.com/mercados-internacionais/cn/china?setorProduto=-1
Cargo From China, “Importing from China: a step by step guide”. Acedido a 11 de maio de 2022.
https://cargofromchina.com/import/
Comissão Europeia, “European Union, Trade in goods with China”. Acedido a 11 de maio de 2022.
https://webgate.ec.europa.eu/isdb_results/factsheets/country/details_china_en.pdf
INE.”Estatísticas do Comércio Internacional”. Acedido a 11 de maio de 2022.
https://www.ine.pt/xportal/xmain?xpid=INE&xpgid=ine_destaques&DESTAQUESdest_boui=472735340&DESTAQUESmodo=2
Câmara do Comércio e Indústria Luso-Chinesa, “Como evitar burlas no processo negocial”. Acedido a 11 de maio de 2022.
https://www.ccilc.pt/wp-content/uploads/2017/07/Evitar-burlas-negociar-China-2021-1.pdf
Câmara do Comércio e Indústria Luso-Chinesa. “Métodos de pagamento em negócios internacionais”. Acedido a 11 de maio de 2022.
https://www.ccilc.pt/wp-content/uploads/2017/07/M%c3%a9todos-de-Pagamento-Neg%c3%b3cio-Internacional-2021-1.pdf

Comentários
  • Boa tarde,
    Estou a pensar importar da China dois veículos de tuk tuk, modelos Eurpo estilo românico e Richshaw Royal com valores de catálogo respectivamente 5.314,40€ e 3.840,70€. Poderei obter da vossa parte um valor estimado pelo transporte maritimo para o Porto de Leixões e terreste de Leixões para Braga e respetivos encargos Alfandegários e aduaneiros ?

  • BOA TARDE ESTOU ENTRÇADO EM MANDAR VIR DA CHINA UMA ESQUADREJADORA PARA CORTE DE MADEIRAS QUAL A MELHOR OPEÇÃO DE O FAZER,E COM SEGURANÇA QUER NO PAGAMENTO QUER NO TRANSPORTE.AGUARDO RESPOSTA. OBRIGADO

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.